Arquivos Coluna da Duhau | Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
13

jan
2013

Coluna da Duhau #42 – Preposição

Oi, pessoal. Tudo bom com vocês? Espero que tenham passado bem a virada de ano e já vamos começar 2013 com tudo, com mais uma coluna pra vocês, dessa vez com o tem: preposição. Vou falar um pouco delas e o emprego da mesma. Espero que seja útil.
Só que primeiramente falarei do que é preposição para, logo em seguida, explicar cada tipo.

Preposição é uma palavra invariável que liga dois termos da oração, subordinando-os. A preposição, portanto, é o termo que liga substantivo a substantivo, verbo a substantivo, substantivo a verbo, adjetivo a substantivo, advérbio a substantivo, substantivo a oração, verbo a oração, etc.

Tipos e variações:
– Essenciais –
O que são: as essenciais são as que surgiram como preposição.
Exemplos: por, para, perante, a, ante, até, após, de, desde, em, entre, com, contra, sem, sob, sobre, trás.
– Acidentais –
O que são: as acidentais são palavras de outras classes gramaticais que eventualmente são empregadas como preposição. São, também, invariáveis.
Exemplos: afora, fora, exceto, salvo, malgrado, durante, mediante, segundo, menos.
– Locução Prepositiva –
O que é: são duas ou mais palavras, exercendo a função de uma preposição. Têm sempre como último componente uma preposição.
Exemplos: acerca de, a fim de, apesar de, através de, de acordo com, em vez de, junto de, para com, à procura de, à busca de, à distância de, além de, antes de, depois de, à maneira de, junto de, junto a, a par de, etc.



– Combinação –
O que é: junção de algumas preposições com outras palavras, quando não há alteração fonética.
Exemplos: ao (a + o), aonde (a + onde)

– Contração –
O que é: junção de algumas preposições com outras palavras, quando a preposição sofre redução.
Exemplos: do (de + o), neste (em + este)
– Fusão –
O que é: a junção do a preposição com o a(s), artigo ou pronome demonstrativo ou com os pronomes demonstrativos aquele, aquela, aquilo.
Exemplos: à, às, àquele, àquela, àquilo.
Então, gente, espero que o post tenha servido para tirar alguma dúvida ou simplesmente para relembrar dessas regrinhas. Ah, se quiserem podem sugerir algum tema que ainda tenham alguma dúvida ou que tenham interesse de ver por aqui.
Beijão e uma ótima semana a todos! o/
23

dez
2012

Coluna da Duhau #41 – Uso do S (continuação)

Oi, pessoal! Último post do ano de 2012 e por isso mesmo já quero começar agradecendo todos vocês que acompanharam, comentaram e leram minha coluna durante esse ano inteiro. Foi muito bom estar com vocês esse tempo todo e receber todo o maravilhoso feedback que vocês sempre dão pra gente. Obrigada de verdade! 😀
Desde já também quero deseja um Feliz Natal pra todo mundo e, é claro, um Ano Novo maravilhoso! Que nosso 2013 seja repleto de livros, haha.
Mas falando da coluna de hoje especificamente, vou continuar com o tema do post passado: uso do S, já que havia deixado algumas regrinhas de fora. Vamos lá?

– Percurso –
Regra: Escrevem-se -puls- nas palavras derivadas dos verbos terminados em -pelir e -curs e nas palavras derivadas de verbos terminados em -correr.
Exemplos: Percorrer = percurso
Expelir = expulsão
Discorrer = discurso
– Horrorosa –
Regra: Escrevem-se com S as palavras terminadas em -oso e -osa, com exceção de gozo.
Exemplos: gostosa, glamorosa, saboroso.
– Osmose –
Regra: Escrevem-se com S as palavras terminadas em -ase, -ese, -ise e -ose, com exceção de gaze e deslize.
Exemplos: fase, crase, tese.





– Profetisa –
Regra: Escrevem-se com S palavras femininas terminadas em -isa.
Exemplos: poetisa, Heloísa, Marisa.
– Quiseram –
Regra: Escreve-se com S a conjugação dos verbos pôr, querer e usar.
Exemplos: Eu pus, ele quis, nós usamos, eles quiseram, quando nós quisermos, se eles usassem.
Espero que tenham gostado. ^^
Um beijão, uma ótima semana, um Feliz Natal e um maravilhoso Ano Novo a todos! o/
09

dez
2012

Coluna da Duhau #40 – Uso do Ç e do S

Fala, pessoal! Tudo bom com vocês? Já estão curtindo as férias ou tem alguns azarados que nem eu aí que vão ter aula até o dia 21 de dezembro porque estuda em universidade federal que entrou de greve no meio do ano? Reclamações da vida à parte, cá estou eu para mais uma coluna e dessa vez trouxe pra vocês as regras e os usos corretos do Ç e do S, pra gente deixar de se confundir com eles de uma vez por todas. Espero que gostem. ^^

– Conjunção –
Regra: Escrevem-se com -ção as palavras derivadas de vocábulos terminados em -tor, -to e -tivo. Deve-se, portanto, procurar a origem da palavra terminada em -ção.
Exemplos: Conjunto = conjunção
Exceto = exceção
Setor = seção
– Detenção –
Regra: Escrevem-se com -tenção os substantivos correspondentes aos verbos derivados do verbo ter.
Exemplos: Deter = detenção
Manter = manutenção
Conter = contenção
– Lançar –
Regra: Escrevem-se com -çar os verbos derivados de substantivos terminados em -ce.
Exemplos: Lance = lançar
Alcance = alcançar
– Despesa –
Regra: Escrevem-se com S as palavras derivadas de verbos terminados em -nder e -ndir.
Exemplos: Despender = despesa
Pretender = pretensão
Expandir = expansão
– Conversão –
Regra: Escrevem-se com S as palavras derivadas de verbos terminados em -erter, -ertir e -ergir.
Exemplos: Converter = conversão
Divertir = diversão
Imergir = imersão
Então, pessoal, deixei de fora mais 5 regrinhas do uso apropriado do S, sendo assim volto com a parte II só do uso do mesmo, pode ser? Gosto de passar essas regras pra vocês porque muitas vezes a gente até sabe escrever corretamente essas palavrinhas aí, mas não sabemos de onde vêm essas regras e é sempre bom saber mais sobre nossa língua.
Gostaram?
25

nov
2012

Coluna da Duhau #39 – J ou G?

Olá, leitores lindos do Minha Vida Literária, tudo bom com vocês? Espero que sim. Bom, tô de volta aqui pra mais uma edição da minha coluna e dessa vez decidi trazer pra vocês algumas palavrinhas que se escrevem ou com J ou com G e que podem confundir a gente de vez em quando, por conta da semelhança do som das mesmas.

Espero que gostem do post:

– Viajem –
Regra: Escrevem-se com J as palavras derivadas dos verbos terminados em -ar.
Exemplos: trajar = traje, eu trajei
encorajar = que eles encorajem
viajar = que eles viajem
Atenção! Não confundir com o substantivo viagem, que será visto mais à frente.
– Canjica –
Regra: Escrevem-se com J as palavras terminadas em vocábulos terminados em -ja.
Exemplos: loja = lojista
gorja = gorjeta
canja = canjica
– Pajé –
Regra: Escrevem-se com J palavras de origem tupi, africana ou popular.
Exemplos: Jeca, jiboia, jiló…
– Sacrilégio –
Regra: Escrevem-se com G todas as palavras terminadas em -ágio, -égio, -ígio, -ógio e -úgio.
Exemplos: Pedágio, colégio, prestígio, relógio, refúgio…
– Viagem –
Regra: Escrevem-se com G palavras terminadas em -gem e a conjugação dos verbos terminados em -jar.
Exemplos: Viagem, coragem, personagem, vernissagem, penugem, ferrugem…
Atenção! As exceções a essa regra são: pajem e lambujem.
E aí, gostaram? 😀
Beijão e uma ótima semana a todos! o/
11

nov
2012

Coluna da Duhau #38 – Concordância

Oi, pessoal, tudo bom com vocês? Desculpem por não ter tido coluna semana passada, mas alguns probleminhas pessoais me impediram de vir com um post bem feito pra você e, como sempre, a Mi gentilmente permitiu que a coluna fosse realocada pra hoje. ^^
Bom, o tema que pensei em trazes pra vocês dessa vez foi Concordância. Decidi não especificar nem em verbal, ou nominal. Trago algumas concordâncias mais importantes para o nosso dia a dia e que as vezes podemos nos confundir. Espero que vocês gostem do post. 😀

– Hoje faz dois anos –
Regra: Essa é a maneira correta de utilizar o verbo fazer quando o significado é de tempo decorrido ou fenômeno da natureza, pois em ambos os casos ele é impessoal, ou seja, não tem sujeito, por isso não tem com quem concordar. 
Exemplo: Faz doze semanas que não a vejo.
– Meio nervosa –
Regra: A palavra meio quando está sendo usada para intensificar adjetivo adquire o caráter de advérbio, ou seja, invariável. Quando você puder trocar meio por bem, então ele sempre será invariável.
Exemplo: Já é meio-dia e meia. (Meio-dia por se tratar da metade do dia; meia por ser metade da hora.)
– Houve problemas –
Regra: O verbo haver, no sentido de existir ou acontecer, é impessoal e por isso não tem sujeito, não tendo com quem concordar.
Exemplo: Havia promessas de novos empregos.
– Obrigadas nós –
Regra: Obrigado é adjetivo quando usado em agradecimentos, cujo significado é aquele que se sente devedor de um favor, significando, portanto, aquele que se sente obrigado a alguém por algo. Por isso, varia em número e em gênero de acordo com o contexto em que está sendo utilizado.
Sabemos que homens falam obrigado e mulheres, obrigada. Mas um homem em nome de um grupo de outras pessoas fala obrigados. Uma mulher em nome de um grupo de ambos os sexos fala obrigados, e em nome de um grupo só de mulheres fala obrigadas
E a resposta a um agradecimento? Temos o costume de as vezes falar obrigado você, mas isso está incorreto de acordo com o padrão culto da língua, já que somos nós mesmos que nos sentimos obrigados a retribuir o favor. Sendo assim, o correto é responder obrigado(a) eu.
– Zero real –
Regra: O numeral zero não representa pluralidade de elementos, e sim a total ausência de quantidade e corresponde a um conjunto vazio. Se não há pluralidade, toda concordância com esse termo da oração deve ser realizada no singular.
Exemplos: Fez zero grau  nessa madrugada.
À zero hora de 20 de fevereiro, o horário de verão se encerrou.
E aí, gostaram do tema da coluna de hoje? Espero que tenha ajudado vocês um pouquinhos, pelo menos para relembrar essa regrinhas que as vezes dão um branco na nossa cabeça, não é mesmo?
Um beijão e uma ótima semana (com feriado) a todos! o/
páginas 123456789

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2020 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício