[Resenha] Bom dia, Verônica — Raphael Montes e Ilana Casoy | Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
15

set
2020

[Resenha] Bom dia, Verônica — Raphael Montes e Ilana Casoy

A rotina da secretária de polícia Verônica Torres era pacata, burocrática e repleta de sonhos interrompidos até aquela manhã. Um abismo se abre diante de seus pés de uma hora para outra quando, na mesma semana, ela presencia um suicídio inesperado e recebe a ligação anônima de uma mulher clamando por sua vida. Verônica sente um verdadeiro calafrio, mas abraça a oportunidade de mostrar suas habilidades investigativas e decide mergulhar sozinha nos dois casos. Um turbilhão de acontecimentos inesperados é desencadeado e a levam a um encontro com lado mais sombrio do coração humano.

Ficha Técnica

Título: Bom dia, Verônica
Autor: Ilana Casoy e Raphael Montes
Editora: Darkside Books
Número de Páginas: 256
Ano de Publicação: 2019
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanas ♥ Submarino

 
 
 

Resenha: Bom dia, Verônica

Bom dia, Verônica é o suspense publicado inicialmente pelo codinome de Andrea Kilmore, uma aposta da Darkside Books em reunir dois autores famosos, sendo eles: Raphael Montes, autor de livros de ficção, como por exemplo Jantar Secreto; e Ilana Casoy, autora de livros de não-ficção, como por exemplo Arquivos Serial Killers. Uma fusão do que há de melhor no universo da literatura de suspense policial nacional.

Verônica Torres é uma policial encostada na profissão de secretária de polícia, uma profissão pacata que envolve burocracia, planilhas e cafezinhos para o seu superior Carvana. Até que, em uma certa manhã, um abismo se abre aos seus pés ao se presenciar um suicídio inesperado. Como se não bastasse, Verônica ainda recebe uma ligação anônima na qual uma mulher implora por sua vida. A verdade é que, apesar de amedrontada, a policial se vê com uma oportunidade de mostrar suas habilidades investigativas. Ao mergulhar sozinha nos dois casos, um turbilhão de acontecimentos desencadeia o encontro com o lado mais sombrio do ser humano.

Estava ansiosa por essa leitura, isso porque Raphael Montes foi uma descoberta para mim este ano e tem sido um mestre no gênero que mais gosto. Depois de saber que Bom dia, Verônica sairia em formato de série pela Netflix, fui tomada pela ânsia de concluí-la antes que a adaptação fosse lançada. Passei na frente de muitos livros e, apesar de ter notado muitas falhas que reconsideraram minha nota final, foi divertido estar um tempo com uma personagem amoral. Verônica não é o que se espera de uma policial; a luta pela justiça, ainda que resistente em sua personalidade, acaba sendo oculta pela ambição da mulher que em muitas vezes pensa apenas no resultado positivo para sua carreira ao solucionar dois casos, desconsiderando o trajeto perigoso que isso cria para as vítimas.

Considerando a construção narrativa de Bom dia, Verônica, percebi muitas abordagens e poucas conclusões. Raphael Montes e Ilana Casoy fizeram questão de apresentar fatos e obsessões de uma forma original em livros do gênero. O que vi como sendo um problema é que por vezes eu parecia estar lendo uma série de considerações sobre um crime ao invés de um livro de ficção. E essa minha dificuldade constante em imergir no romance causava dispersão, distanciamento e, por consequência, abandono das páginas, algo que não ocorreu, por exemplo, com O Vilarejo, do Raphael Montes. Acredito que, apesar de ter sido uma ideia genial unir duas mentes voltadas ao crime, a não-ficção se sobressaiu de uma forma que a narrativa se tornou cansativa ou, em momentos brutais da obra, algo criado para chocar.

Não foi uma leitura ruim, na verdade foi interessante estar dentro de um estilo bem diferente e objetivo da narrativa de suspense. Levei ideias e conhecimento ao final da leitura sobre coisas que raramente ficamos por dentro no meio investigativo. Minhas considerações finais deixam claro que já li muita coisa melhor do Raphael Montes e que preciso muito dos livros da Ilana Casoy para um estudo mais aprofundado na criminologia. Contudo, não sei se pegaria outro romance com ambos na autoria.

A série vai ao ar na Netflix dia 01 de Outubro e soube que o Raphael Montes e a Ilana Casoy alteraram bastante coisa ao adaptar o livro para roteiro. Estou ansiosa para ver onde estarão os pontos de mudança. Se você não leu ainda, recomendo que o faça antes da série.





Deixe o seu comentário

8 Respostas para "[Resenha] Bom dia, Verônica — Raphael Montes e Ilana Casoy"

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 15, setembro 2020 às (22:45)

Franine!
Acho sempre bem interessante como cada leitor tem uma opinião diferenciada sobre cada obra lida.
Sua resenha é a primeira que relata com sinceridade sobre a protagonista e fala abertamente não ter gostado do livro.
Até agora só lia boas resenhas e até vi uma dizendo que já considera uma das melhores leituras do ano (como assim?)
Fato é que fiquei bem intrigada e gostaria de ler para tirar minhas próprias conclusões.
cheirinhos
Rudy

Angela Cunha - 16, setembro 2020 às (07:24)

Ai ai rs
Eu sou bem suspeita para falar alguma coisa sobre Raphael. Eu amo as letras do autor e quando recebi esse livro, o devorei rapidinho. Tá, não é o melhor dele e oh, nem sei se foi culpa dessa escrita em conjunto,mas sei lá. O fim é muito doido rs(coisinhas que Raphael sempre faz em suas obras)
Mas eu estou ansiosa demais pela série na tv!!!
Beijo

Amanda Braga de Almeida - 16, setembro 2020 às (08:01)

Não sabia que esse livro ia virar série e nem que era nacional, já vi ele por aí algumas vezes. Parece ser bem o tipo de livro que eu gosto, adoro um suspense! Odeio essa sensação de dispersão, acabo não aproveitando a leitura, pois tenho que voltar para ler de novo e entender ou então eu só abandono o livro e tento ler de novo outra hora, mas isso atrasa tudo. Curiosa para saber o motivo da pata (?) na capa, que é bem bonita, por sinal.
Beijos

Scheila - 16, setembro 2020 às (08:19)

Oi, Fran!
Sou como você, prefiro ler antes de ver a adaptação em série.. Porque se eu vejo a série antes, o livro já me desencanta..
Suspense sempre foi um gênero que gosto de intercalar entre meus romances, para dar uma mudada ehehe.
Eu não conheço as obras desses autores, mas pelo que sempre ouço falar, o Raphael é muito bom e Ilana nunca ouvi nada sobre.
Pode ser que eu tenha uma opinião diferente da sua quando eu ler, mas só lendo para saber né.
Mas adorei a resenha!

Beijos

Theresa Cavalcanti - 16, setembro 2020 às (10:38)

Olá,

Eu estou com muita vontade de assistir a série, mas com zero vontade de ler esse livro :/
Nunca li nada dos dois autores, mas quero muito ler algo do Raphael já que já vi muita gente falando bem.
Vou assistir a série primeiro mesmo

Beijos

Anna Mendes - 16, setembro 2020 às (11:15)

Oi Fran!
Ahh, adorei sua resenha! Sou louca para ler esse livro!
Do Raphael eu só li dois livros até agora: Suicidas e O Vilarejo, e gostei muito de ambas as experiências.
Ainda não conheço o trabalho da Ilana Casoy , mas já fiquei curiosa para conferir, porque adoro essa parte de criminologia.
Pela premissa, parece que a história proporciona uma leitura instigante.
Assisti ao teaser da série e parece que vai estar muito boa.
Espero conseguir fazer a leitura antes de ver a série.
Bjos!

Elizete Silva - 17, setembro 2020 às (15:41)

Olá! Eita que preciso ler esse livro o mais breve possível, acho que torna a experiência de assistir a série mais bacana, não é um gênero que estou acostumada a ler, inclusive não conheço a escrita de nenhum dos autores, por isso acho que vai ser bastante desafiador para mim realizar essa leitura.

eliane - 29, setembro 2020 às (20:44)

Ainda nao li nada desse autor e esse livro nao me chamou tanto a atençao .preciso conhecer outras obras do autor
Parabens pela resenha .muito bem explicada os pontos negativos do livro

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2020 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício