[Vídeo resenha] Menino Gordo: Contos de Dor e Esperança — Nelson Issa | Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
28

Maio
2020

[Vídeo resenha] Menino Gordo: Contos de Dor e Esperança — Nelson Issa

O assunto “morte” é bastante complicado, por qualquer lado que se olhe. Por conta desta época conturbada de pandemia que estamos vivendo em 2020, eu resolvi reeditar esta obra, que publiquei originalmente em 2005, à época pensando no assunto “suicídio”, que é tão vinculado a destruição e agressão, temas que vieram para ficar, penso eu, pois o vírus também veio para ficar por um largo tempo, em muitas formas de manifestação, doravante.
Recompus esta obra com outros contos que eu escrevi depois da edição original e que tiveram alguma aceitação em concursos literários. No total, estão aqui 36 textos, dos quais 16 são provavelmente ficcionais.
Eu começo com a história de um suicida infantil não-ficcional, um menino gordo devastado pelo bullying ou violência escolar. Os demais contos (ficcionais ou não) apresentam outras experiências no tempo e no espaço. Tentam elas dar um panorama da rica vivência de dor e esperança das pessoas, tentando universalizar argumentos que se contraponham à autodestruição e à destruição mútua.
Talvez nisso a Arte possa contribuir com discursos de fábula, mito, realidade e amor.
Contos de dor e esperança.
Esperança poética que eu devo a Tornassol e Passarinho, dois bons amigos de infância, cujas identidades devem ser protegidas, dado que suas dores foram muito reais. A eles, meus queridos, onde quer que estejam, para onde quer que seus atos de autoimolação tenham levado suas almas, eu espero, sinceramente, que estejam bem.
Ou que fiquem bem, algum dia.

Menino Gordo: Contos de Dor e Esperança — Nelson Issa

Título: Menino Gordo: Contos de Dor e Esperança
Autor: Nelson Issa
Editora: Autopublicação
Número de Páginas: 88
Ano de Publicação: 2020
Skoob: >Adicione
Saiba mais: Blog do Autor
Compre: Amazon


RESENHA EM VÍDEO


 

RESENHA ESCRITA

Menino Gordo: Contos de Dor e Esperança é a antologia de Nelson Issa, autor de As Esferas, publicada originalmente em 2005 e, agora, revisada e relançada em uma nova edição na plataforma do KDP da Amazon. Com 36 contos que abordam as mais diversas situações, o tom geral da leitura é de reflexão e, sobretudo, de humanidade.

O conto que abre o livro é aquele que o nomeia, no qual há a narrativa de um garoto que sofre bullying por seu peso e se vê cogitando a possibilidade do suicídio. A partir daí, passamos para pontos de vista e contextos diversos, seja em momentos históricos, seja em classe social, seja em gênero ou idade. 

Os contos, embora não ligados entre si, trazem em comum diferentes facetas da dor e da esperança diante dela, tirando o leitor, muitas vezes, de sua posição de conforto para o colocar na pele dos personagens. Assim, é possível encontrar tanto realidades distintas — e novas perspectivas a partir delas — ou um sentimento de identificação; o mais interessante, contudo, é encontrar um reconhecimento de emoções apesar das divergências de contextos.

Nelson Issa tem uma escrita versátil, capaz de assumir tons mais informais ou solenes, a depender da matéria narrada, variando conforme a personalidade de cada sujeito descrito. Os contos — curtos, no geral — chamam a atenção por sua literariedade, proporcionando tanto o papel reflexivo e social quanto o prazer pelo trabalho artístico com as palavras. Vale dizer que há contos em Menino Gordo premiados em concursos.

Pela própria extensão de cada conto, Menino Gordo não é uma obra longa. Ainda assim, não é daquelas a se fazer de uma vez, em velocidade. O ideal é que os contos sejam absorvidos aos poucos para que possam ser aproveitados ao máximo, seja na reflexão proporcionada, seja em apreender forma e conteúdo do texto do autor. Como em toda antologia, houve aqueles que me agradaram mais do que outros, mas, no geral, foi uma leitura sensível, interessante e capaz de falar do que há de mais humano em cada um de nós — seja por nossas luzes ou sombras.

Em seu blog, Nelson Issa traz um resumo de cada um dos 36 contos de Menino Gordo, que podem ser interessantes para quem deseja conhecer mais da obra antes de lê-la — ou mesmo para ter uma recapitulação da leitura após finalizá-la. O autor, também, fez um vídeo de apresentação, falando de seu propósito com a antologia, e convido vocês a assistirem!





Deixe o seu comentário

11 Respostas para "[Vídeo resenha] Menino Gordo: Contos de Dor e Esperança — Nelson Issa"

Tereza Cristina Machado - 28, maio 2020 às (18:11)

Quero ler!
Gosto de leituras que me tire da zona de conforto, a ideia de esperança deixa luz no caminho. Quero saber dessa retomada no fim do livro com o conto incial… eu me interessei pelo livro… vai pra lista 😉

Angela Cunha - 29, maio 2020 às (07:11)

Nestes tempos sombrios, o tema suicídio, dor, depressão, ansiedade tem se tornado comuns e isso não é nada bom. Minha irmã que é enfermeira diz que os casos no hospital são assustadores. O medo tem dominado.
Por isso, amei que o autor tenha trazido esse apanhado de contos. Aliás, os contos nos salvam tanto e também de uma forma única, nos trazem um alento.
Vou lá conferir o resumo do autor,mas já adorei o que vi no vídeo!!!
Beijo

Anna Mendes - 29, maio 2020 às (08:55)

Oi Aione! Adorei essa indicação!
Ah, eu lembro de quando você falou de As Esferas! Lembro que achei a premissa bem diferente.
Fiquei curiosa para ler Menino Gordo. Adoro contos!
Não parece ser uma leitura tão fácil, ainda mais pelos temas que aborda, mas parece ser uma leitura capaz de proporcionar muitas reflexões.
Gosto muito quando consigo me identificar com os personagens ou situações. Espero conseguir fazer essa leitura! 🙂
Bjos!

Lynn Prado - 29, maio 2020 às (16:14)

Oooie
Parece ser uma leitura bem emocionante! Contos por si só já são bem fora da minha zona de conforto rs, essa antologia parece ter temas bem bacanas e emocionantes.
Achei bem interessante quando você falou sobre o conto “Menino Gordo” fiquei curiosa para saber sobre a retomada do conto no fim do livro.
Bjs

Luana Martins - 29, maio 2020 às (20:38)

Oi, Aione
Não conhecia o livro anterior, mas obrigada pela dica. Vou procurar para ler.
Esses contos veio para somar com a situação que estamos vivendo para refletir sobre nossas atitudes, a vida, empatia.
Como o próprio título diz sobre ser gordo e o personagem sofrer pela sua condição física me lembra a infância onde fui chamada de vários nomes por ser gorda.
Beijos

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 29, maio 2020 às (22:14)

Aione!
Gosto muito de contos, ainda mais quando trazem reflexões que podem mudar nossas premissas.
Sofrimentos sempre nos fazem repensar algumas aitudes e nosso cotidiano.
Depois vou lá ver a apresentação dos contos.
Bom que a narrativa é versátil se adaptando a cada conto e seu enredo.
Interesante!
cheirinhos
Rudy!

Theresa Cavalcanti - 30, maio 2020 às (18:23)

Ola, Aione

Acho muito importante trazer esses livros que não são conhecidos do grande público.
Não sou muito fã de ler contos, e ainda mais com temas tão pesados.
Acho que vou dar uma chance para esse, mas não agora, estamos passando por um momento tão pesado, que quero leituras mais leves.

beijos

Giovanna Talamini - 30, maio 2020 às (21:00)

Olá!
Se eu leio esse livro, cada conto é um tiro no meu peito, sério! Mesmo assim, com certeza eu leria, mas devagar, pois não seria fácil pela temática.

Elizete Silva - 30, maio 2020 às (23:20)

Olá! Um livro com histórias fortes e impactantes, e que nos fará refletir bastante, eu acho que não curtiria tanto o livro se o lesse agora nesse momento tão down da nossa sociedade, mas com certeza é um livro que eu leria em outro momento.

eliane - 31, maio 2020 às (17:48)

não sou muito de ler contos até gostaria de ler essa obra mas não vai dar para ler porque não tenho tenho kindle

Ana I. J. Mercury - 31, maio 2020 às (20:36)

Oi, Aione
Adoroooo contos, e pelo jeito esse é um livro dos bons.
Com temas necessários, difíceis e que nos sensibilizam.
Assim que der comprarei sem falta!
Bjs

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2020 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício