[Resenha] Deuses Caídos - Gabriel Tennyson | Minha Vida Literária
21

abr
2020

[Resenha] Deuses Caídos – Gabriel Tennyson

Título: Deuses Caídos
Autor: Gabriel Tennyson
Editora: Suma
Número de Páginas: 400
Ano de Publicação: 2018
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSubmarino

Um serial killer com poderes paranormais está assassinando evangelistas famosos — e os vídeos de cada um deles sendo torturados ganham cada vez mais público na internet. O assassino se proclama o novo messias, e os pecadores devem temer sua justiça. O que a Sociedade de São Tomé teme, no entanto, é que ele acabe com o trabalho de séculos de manter o sobrenatural bem afastado da consciência da população, embora seres mágicos povoem o submundo da cidade.
Para garantir que o assassino seja capturado e o máximo de discrição mantida, a Sociedade convoca Judas Cipriano — um padre indisciplinado, descendente de são Cipriano e herdeiro de alguns poderes celestiais. Veterano nesse tipo de caso, o padre é enviado para trabalhar como consultor da Polícia Civil e fica responsável por apresentar à jovem inspetora Júlia Abdemi o lado místico da cidade.
Para resolver o caso — e sobreviver —, os dois precisarão de toda ajuda que puderem encontrar… O que inclui se unir a uma súcubo imortal, um dragão chinês traficante de armas mágicas e um gárgula que é a síntese da sociedade carioca.

A fantasia urbana nacional vem com tudo em Deuses Caídos, que mistura os costumes cariocas com a sanguinolência do gore — um subgênero de terror focado na descrição de violência e carnificina. Ter estômago é um dos pré-requisitos para se ler o livro de Gabriel Tennyson.

Judas Cipriano é um padre fora do comum, que, por sua indisciplina, é o mais cotado para assumir casos além da compreensão. Descendente de São Cipriano e herdeiro de alguns poderes celestiais, nosso protagonista vai se unir à jovem inspetora Júlia Abdemi para trabalhar como consultor da Polícia Civil em um caso que requer o máximo de discrição possível. Quando um serial killer com poderes paranormais decide assassinar evangelistas famosos utilizando o voto público através de vídeos online, o caos se instaura e o sobrenatural fica exposto a população. O autoproclamado messias está disposto a fazer justiça e os pecadores devem temer sua figura. Agora, para resolver o caso, Judas e Júlia precisarão de toda a ajuda que puderem encontrar no mundo mágico, seja um súcubo imortal ou um dragão chinês traficante de armas mágicas. Aqui vale tudo.

Deuses Caídos é um “ménage à trois” de suspense, terror e fantasia que traz o peso do cenário urbano do Rio de Janeiro nas nuances mitológicas desenvolvidas por Gabriel Tennyson, uma homenagem clara ao cenário tão familiar desse autor carioca. Senti que as descrições que compõem as criaturas do submundo se moldam de uma forma tão natural e convincente que permitem ao leitor uma imersão profunda no cenário, sendo impossível separar o que, para nós, seria o real do fictício. A sensação é de que eles estavam lá o tempo todo, mas nós não tínhamos notado antes. Acredito, como leitora e escritora, que isso é o que faz uma boa fantasia urbana.

A narrativa em terceira pessoa segue tanto Judas e a inspetora quanto as próprias vítimas do serial killer, o que torna o cenário bem dinâmico e em constante movimento. Uma coisa importante de se pontuar é que o linguajar de baixo calão e também as descrições puxadas para o gore podem exigir bastante da consciência do leitor, pois essas são duas características que costumam impelir uma leitura mais ágil mesmo para quem já está acostumado. Eu tive que parar duas ou três vezes no começo para digerir o acontecimento, pois a náusea se tornou uma força maior.

Gabriel Tennyson trouxe três personagens emblemáticos na sua obra de estreia. Judas Cipriano não é um padre comum, como eu falei antes, mas sua história vai além dessa simples constatação. Ele usa a batina por profissão e não por vocação, isso é deixado às claras logo no começo, seja pelo seu comportamento e linguajar ou, principalmente, por sua história de vida, anexados ao texto através de lapsos de lembranças por parte do personagem. A segunda protagonista é a própria inspetora Júlia, cujo fato de ser mãe e esconder segredos envolvendo sua família fazem dela uma personagem intricada e bem explorada. E, por último, o mais importante no meu ponto de vista, o serial killer é uma figura que faz a roda girar. Sem ele, o enredo nem existiria! Mas o que se destacou nele é ver como seu conceito de justiça consegue transpor a transmissão de vídeo e passa a influenciar o telespectador a validar um assassinato. É assustador, não? Se considerarmos nossa realidade atual, quais seriam as chances desses julgamentos ocorrerem? Infelizmente, acredito que muitas.

Considerando todos os pontos acima e sendo uma admiradora do sobrenatural, só posso ressaltar que Deuses Caídos não é uma leitura para qualquer pessoa, mas se torna recomendadíssimo para os de estômago frio e mente aberta, aqueles amantes das chacinas descritas em um terror pesado. Os direitos de adaptação do livro para o audiovisual foram comprados pela produtora carioca A Fábrica, em acordo intermediado pela Increasy Consultoria Literária. Ainda sem data de lançamento, é uma adaptação a que estou ansiosa para assistir.





Deixe o seu comentário

9 Respostas para "[Resenha] Deuses Caídos – Gabriel Tennyson"

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 21, abril 2020 às (19:21)

Francine!
Acho uma raridade livro único e com final fechado e esse é o primeiro motivo que me atrai a fazer a leitura.
Depois gosto demais de livros que trazem uma abordagem religiosa embasada e mesmo tendo uma linguagem crua, sem rodeios (outro aspecto que me atrai), acho pertinente essa forma de colocar os fatos, afinal, mostra o que realmente aconteceu pela visão do autor.
Vejo que é um livro rico em conhecimento e claro que quero ler.
cheirinhos
Rudy

Elizete Silva - 21, abril 2020 às (23:33)

Olá! Olha que esse pré requisito definitivamente já excluiu esse livro da minha lista (risos) eu fujo dessas cenas de embrulhar o estômago, e mesmo curtindo muito fantasia acredito que esse não é um livro que eu leria, mas certamente assistiria (claro que tapando os olhos em algumas cenas né!).

Angela Cunha - 22, abril 2020 às (07:44)

Primeira resenha que leio deste livro e claro que já vai para a lista dos mais desejados.
Eu amo muito tudo isso, dos assassinatos, chacinas e afins. Claro, toda a investigação, mistério e sim, fantasia e sobrenatural.
Um menage assim dá pra encarar sem pudor algum e com certeza, já quero demais conhecer!!!
Beijo

Luana Martins - 22, abril 2020 às (17:33)

Oi, Francine
Li algumas resenhas desse livro, não tive oportunidade de ler. Mas fico feliz em saber que os direitos foram comprados, ver uma adaptação dessa premissa parece que promete.
Um enredo fascinante com muitas aventuras, sobrenatural, cenas fortes. Tenho certeza que vou adorar fazer essa leitura.
Beijos

eliane - 23, abril 2020 às (20:14)

ainda não conhecia essa obra
não é meu estilo de livro
acho que nem é questaõ de ter a mente aberta ou não
nãp desse tema terror e sobrenatural
li um livro com tema sobrenatural e não gostei nem um pouco
me senti desconfortavel
mas é legal ver uma obra nacional trazendo conteudo bem diversificado

Anna Mendes - 25, abril 2020 às (16:05)

Oi Fran!
Que legal você ter feito a resenha desse livro!
Eu já tinha ouvido falar em Deuses Caídos, mas não sabia muito bem sobre o que se tratava.
Um Serial Killer com poderes sobrenaturais? Taí uma premissa diferente e intrigante!
Eu curto uma boa fantasia com terror, e fiquei bem curiosa para conhecer essa história!
Bjos!

Bianca Martins - 26, abril 2020 às (19:27)

Pessadíssimo!
Para mim já ganhou mil pontos por ser único.
Mas no atual momento tudo que não preciso é de livros que me embrulhem o estomago, livros me deixam mais impactada que filmes.
Mas é um bom livro para deixar ali na estante do Skoob para um dia que eu precisar de um livro mais pesado.

Ana I. J. Mercury - 29, abril 2020 às (20:56)

Oi, Francine
Uaaau, que livro, hein!
Ao mesmo tempo que fiquei curiosíssima para ler, também fiquei receosa, pois não tenho mesmo estômago frio.
Os personagens parecem todos revoltantes e cativantes na mesma medida.
É, sem dúvidas, muito original e ousado.
Anotado aqui quem sabe tomo coragem e leio mais pra frente.
bjs

Ana Carolina Venceslau Dos Santos - 30, abril 2020 às (18:39)

Eu sempre tive vontade de ler esse livro mas sempre achava o preço dele um absurdo em todas as vezes que eu ia comprá-lo por eu ser uma grande fã de livros de serial killer é impossível não se sentir atraída por essa proposta de livro e pretendo ler em breve

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2020 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por