[Vídeo Resenha] Wildhill — MFG Ramos - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
05

maio
2022

[Vídeo Resenha] Wildhill — MFG Ramos

Inglaterra, 1857. Julianne é uma dama pouco convencional que se sente muito mais confortável entre os cavalos de Manning Stud Farm, tradicional criação de sua família, do que entre pessoas. Apesar disso, ela concorda com o plano de seu avô que deseja uni-la ao segundo filho do conde de Faulkner, da família Dawson, com a qual os Mannings mantêm laços antigos. A caminho de Wildhill, onde irá conhecer seu pretendente, Julianne “perde” algo muito importante: nada menos do que sua irmã gêmea! Assim começa uma busca desesperada por Alysanne, antes que o desaparecimento dela se torne público e arruíne a reputação de ambas as irmãs. Nessa empreitada, Julianne precisará contar com sua inteligência e jogo de cintura, assim como com a ajuda de novos amigos – dentre eles, o primogênito da família Dawson, que tem o poder de tirá-la do sério como ninguém mais – além de um bocado de sorte!

 

Ficha Técnica: Wildhill

Título: Wildhill
Autor: MFG Ramos
Editora: Publicação Independente
Número de Páginas: 250
Ano de Publicação: 2019
Skoob: Adicione
Compre: Amazon

 
 
 

Vídeo Resenha


 

Resenha escrita

Wildhill é o romance de época de MFG Ramos publicado de maneira independente através da plataforma KDP da Amazon. Ambientado no período Vitoriano da Inglaterra e inspirado em Edenbrooke, de Julianne Donaldson, foi uma das leituras mais divertidas que fiz nos últimos tempos. 

Julianne Manning vem de uma família de comerciantes, criadora de cavalos. Ao concordar com o plano do avô de casá-la com o segundo filho dos Dawson, de quem os Manning são amigos, ela parte para Wildhill para conhecer seu pretendente. Contudo, no meio do caminho, sua irmã gêmea, Alysanne, desaparece, deixando apenas um bilhete informando sua fuga com um amor desconhecido. É quando Julianne precisará arquitetar diferentes estratégias para evitar um escândalo e a consequente desmoralização de Alysanne. 

Em primeira pessoa, MFG Ramos constrói a narrativa de Wildhill através da voz de Julianne. Em uma escrita fluida e envolvente, não é difícil imergir na trama, nem se conectar com a sagaz protagonista. Seus comentários espirituosos bem como seu jogo de cintura tornam a leitura divertida, além de ser fácil criar um vínculo com Julianne por conta de sua personalidade e de seu triste passado. Não apenas a protagonista sabe defender seus ideais como é muito leal com aqueles que a cercam, sejam eles humanos ou animais. Aliás, os personagens secundários, sobretudo os que constituem a rede de apoio de Julianne, também conquistam e contribuem para a sensação de acolhimento que a história proporciona. Por outro lado, há personagens cujo desenvolvimento de personalidade está ligado a reviravoltas na trama, especialmente ao final. Se o romance em geral entrega uma leitura cativante, os capítulos finais são ainda mais viciantes, e me surpreendi com as revelações, tendo me enganado com o que a autora astutamente construiu.  

A ambientação de Wildhill é mais um ponto positivo, não apenas pelas descrições de cenário serem vívidas, mas pelo contexto histórico fornecido. MFG Ramos tomou cuidado ao incorporar caracterizações e referências fiéis à época sem perder sua liberdade criativa. É válido dizer que, não sendo esse um romance histórico, há menor interesse e necessidade de se realizar um retrato do período, já que não é o foco da trama. Ao contrário, ela foca no desenvolvimento das personagens, em especial na relação amorosa entre elas.

Um dos fatores que mais me fez apreciar o romance foi como ele é aconchegante, uma vez que há uma forte conexão entre o casal, construída aos poucos e a partir de doses exatas de amizade, confiança, reciprocidade e espirituosas alfinetadas. Os conflitos enfrentados são externos, não relacionados às emoções ou intenções de cada um. E para quem não gosta de cenas eróticas em romances de época, Wildhill é a sugestão perfeita, por não conter esse teor. 

Em linhas gerais, Wildhill foi uma leitura apaixonante, seja pela história e romance em si, seja pelos cenários ou pelas personagens, que tanto me cativaram. Acima de tudo, foi um livro que me divertiu do começo ao fim, provocando gostosas risadas. Certamente pretendo ler mais de MFG Ramos.





Deixe o seu comentário

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2022 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício