[Resenha] Daqui a cinco anos — Rebecca Serle | Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
07

ago
2020

[Resenha] Daqui a cinco anos — Rebecca Serle

Onde você se vê daqui a cinco anos? Dannie Kohan sabe exatamente o futuro que deseja e o que deve fazer para conquistá-lo. Depois de arrasar na entrevista para seu emprego dos sonhos em um dos maiores escritórios de advocacia de Nova York e de ser pedida em casamento pelo namorado, ela vai dormir com a certeza de que está no caminho certo para realizar todos os seus planos.
Quando acorda, entretanto, ela está em um apartamento diferente, com outro anel de noivado no dedo e um homem que nunca viu antes ao seu lado. A televisão mostra que é a mesma noite — 15 de dezembro —, mas cinco anos no futuro.
Depois de uma hora intensa e chocante nesse cenário, Dannie acorda de novo, de volta ao presente, como se nada tivesse acontecido. Profundamente abalada e sem entender o que houve, ela decide acreditar que foi apenas um sonho, por mais realista que tenha sido. E parece funcionar. Isto é, até quatro anos e meio depois, quando Dannie encontra o homem que viu naquela noite inusitada.
Ao mesmo tempo divertida e emocionante, Daqui a cinco anos é uma história sobre lealdade, amor, amizade e a natureza imprevisível do futuro./p>

 

Ficha Técnica

Título: Daqui a cinco anos
Título original: In Five Years
Autor: Rebecca Serle
Tradução: Alexandre Boide
Editora: Paralela
Número de Páginas: 336
Ano de Publicação: 2020
Skoob: Adicione
Compare e compre: AmazonAmericanasSubmarino
Compre em inglês: Amazon

 

Resenha: Daqui a cinco anos

Daqui A Cinco Anos é o romance de Rebecca Serle primeiramente publicado em formato digital pela editora Paralela, mas já disponível para compra em formato físico. A autora é a mesma de Tocando as Estrelas, publicado pela Novo Conceito.

Dannie sabe exatamente como ela quer que sua vida seja. Contudo, na noite em que ela enfim é pedida em casamento e que se sai bem na entrevista de seu emprego ideal, ela sonha com o futuro, exatamente a cinco anos dali, e, nesse futuro, ela se vê comprometida com outro homem que não seu namorado. Atordoada com o quanto a visão pareceu real, ela tenta esquecê-la. Porém, depois de quatro anos e meio, ela encontra o homem com quem havia sonhado e começa a fazer de tudo para que aquela visão não se concretize.

Acredito que a primeira coisa a ser dita sobre Daqui A Cinco Anos é que, embora a sinopse dê a entender ser uma história de amor, esse não é o caso. O romance de Rebecca Serle foca em duas questões principais, sendo a primeira delas o quanto nossa tentativa de controle sobre a vida é inútil. Dannie foi profundamente abalada pela morte do irmão quando era mais nova e, desde então, tornou-se uma pessoa metódica e controladora. Assim, ela tenta levar sua vida planejando tudo com esmero para obter os resultados desejados. Ao longo da narrativa, a personagem se vê em situações que não podem ser controladas, fazendo com que, pouco a pouco, Dannie vá abrindo mão dessa sua característica, sendo forçada a aprender a dançar conforme toca a música. A segunda temática do livro é a relação entre Dannie e Bella, sua melhor amiga. Ambas, embora muito próximas, são como água e vinho, e Rebecca Serle constrói um paralelo entre as duas a todo momento, contrapondo suas características. O que move a história é a amizade entre elas, demonstrando o quanto esse laço de amizade é profundo.

Só pude fazer essas considerações quando finalizei a leitura e compreendi qual era o intuito do livro. Porém, até lá, o caminho foi tortuoso. Como eu imaginava ser uma história de amor, fiquei o tempo todo esperando por esse desenvolvimento, pela criação de uma relação que sustentasse o conflito de Dannie estar comprometida com um homem, mas, provavelmente, se apaixonando por outro — o que concretizaria sua visão de anos antes. Esse desenvolvimento, é claro, não acontece, já que o conflito romântico não é exatamente esse, e me deixava aflita não conseguir enxergar nem a relação de Dannie com o namorado e nem a possibilidade de relação dela com o homem desconhecido. Porém, mesmo compreendendo ao final qual era, de fato, o tema de Daqui A Cinco Anos, ainda assim não consegui realmente gostar da leitura de todo.

O principal problema para mim está no desenvolvimento da personagem. Mesmo que o intuito de Rebecca Serle seja demonstrar o quanto Dannie — assim como nós —, na realidade, não pode controlar a própria vida, a protagonista é extremamente passiva durante todo o enredo. Todos os eventos acontecem com ela, ao invés de serem resultados de suas escolhas e decisões, e isso me incomodou. Não há um crescimento de Dannie no sentido de ela ser capaz de assumir os próprios desejos, mesmo que entenda que não pode controlar se eles vão ou não se concretizar. Eu gostaria, sim, de vê-la abrindo mão de sua necessidade de controle, mas não me agradou vê-la apenas sendo movida pelas decisões que os outros tomam por ela — e meu desagrado não é pela personalidade da personagem, mas em termos de construção narrativa. Fiquei com a sensação de que não há real crescimento de personagem, o que me impediu de realmente me conectar com ela, como se houvesse uma barreira entre nós que me impossibilitasse de conhecê-la a fundo, e que o livro caminha quase que para lugar nenhum.

Mesmo que a narrativa em primeira pessoa de Daqui A Cinco Anos seja fluida e convidativa, a leitura acabou por me decepcionar. Talvez, se eu não estivesse na expectativa da história romântica, minha relação com a obra tivesse sido melhor. Ainda assim, acredito que o desenvolvimento da personagem teria me incomodado de qualquer maneira. Vale dizer que fiz a leitura direto do inglês, depois de encontrar o eBook em promoção. A quem se interessar em não ler traduzido, a narrativa é tranquila de se acompanhar e uma boa opção para se praticar a leitura no idioma.





Deixe o seu comentário

11 Respostas para "[Resenha] Daqui a cinco anos — Rebecca Serle"

Angela Cunha - 08, agosto 2020 às (08:21)

Este livro desde seu recente lançamento, tem causado uma certa divisão. Eu juro que também se tratava de um romance simplesmente, mas lendo acima, o enredo vai muito além.
Talvez o ponto central seja o por fora, o estar por fora destes cinco anos e isso é maravilhoso sim! Uma amizade bem construída vale mais que um romance, muitas vezes.
Só olhar por outro ângulo ! rs
Eu tenho vontade sim, ler o livro e me decepcionar ou ficar feliz com ele!!!!
Beijo

Anna Mendes - 08, agosto 2020 às (15:54)

Oi Aione!
Eu não conhecia esse livro e nunca tive contato com outra obra da autora.
Achei a capa fofa e gostei da premissa.
Realmente, num primeiro momento parece se tratar de uma história romântica.
É meio decepcionante mesmo quando não vemos um crescimento na protagonista da história.
Gosto de romances narrados em primeira pessoa e fiquei curiosa para ver como a autora abordou as questões de controle e amizade que você comentou.
Vai para a minha lista de desejados, mas sei que farei a leitura com expectativas mais baixas 😉
Bjos!

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 08, agosto 2020 às (19:58)

Aione!
Uma pena que as personagens deixaram a desejar.
O livro está sendo bem badalado nas redes sociais e quando isso acontece, fico sempre om um pé atrás, porque cria grande expectativa e quando vamos ler, nem é essas coisas todas.
Na verdade fiquei intrigada com esse sonho premonitório que a protagosnita teve e depois descobre que é o namorado da melhor amiga, então… é de se pensar.
Fato é que quando há amor e amizade, sempre me interessa.
cheirinhos
Rudy

Theresa Cavalcanti - 09, agosto 2020 às (10:48)

Olá, Aione

Essa é a segunda resenha que leio desse livro, e continuo nem um pouco empolgada para ler ele.
A história em si não me cativou, e as resenhas tem suas ressalvas.
Talvez um dia eu dê uma chance para ele, mas por agora não dá :/

Amanda Almeida - 10, agosto 2020 às (09:08)

Também esperava que fosse uma história de amor e foi isso o que me fez querer ler esse livro, a princípio. Agora quero ler mais pela curiosidade, para descobrir o motivo de tantas pessoas terem odiado. Sei que não devo colocar expectativas no cara dos sonhos e até já criei algumas teorias sobre o desfecho, de tantas resenhas que já li, por querer ver se valia a pena a leitura. Vou acabar dando uma chance, deve ser uma história sobre amizade mesmo. Interessante sua consideração sobre o crescimento da personagem, não lembro de ter visto comentários sobre isso e é algo importante. Adorei a dica de praticar o inglês, vou ir com 0 expectativas, mas se eu não gostar, pelo menos vai me servir de alguma coisa hahah.
Beijos

eliane - 10, agosto 2020 às (22:22)

OLA
Não gosto de narrativa em primeira pessoa ,sempre tenho a impresaõ de estar lendo um diario e não um livro
eu estava indecisa entre ler ou não esse livro mas essa é a segunda resenha que leio que aponta fatos que não me agradou ,não fiquei com vontade de ler ,por enquanto não .
se um dia por acaso achar ele na biblioteca e não tiver nada melhor para ler eu pego ele emprestado para ler,
bjs

Scheila - 11, agosto 2020 às (08:40)

Aione,
Inicialmente lendo sua resenha, eu imaginei como você, que a história se encaminharia para um romance delicioso, entre ela se envolver com seu namorado atual e esse do seu possível ‘sonho’. Já me decepcionei quando você comentou que não foi isso que o livro trouxe.. Uma pena, não é mesmo?
Mas acredito que possa tirar algo de bom, como a amizade, lealdade..
Mas eu amei a capa e me identifiquei com o título, porque eu sempre penso onde estarei daqui a alguns anos ehehe.

Beijos!

Juliane Santos - 11, agosto 2020 às (11:21)

Não conhecia o livro nem a autora, também ao ler a sinopse tive a impressão de ser um romance. Interessante saber que ela tentou abordar a nossa mania de controlar tudo. Eu sou um pouco assim, sempre querendo controlar. Uma pena que ela não soube elaborar e trabalhar nesse enredo, não havendo crescimento na personagem.

Luis Carlos - 14, agosto 2020 às (22:02)

Eu cheguei a ver diversas postagens sobre esse livro em vários blogs, mas ainda não tinha parado pra ler sobre o que ele falava. Eu achei a premissa bem interessante, apesar de que o foco do livro não é bem romance. Uma pena você não ter gostado o quanto gostaria, talvez isso deva ter acontecido por você ter depositado expectativas no romance, que acaba não sendo o foco no livro. Adorei a resenha!

Ana Paula Santos Moreira - 25, agosto 2020 às (01:30)

Incrível como esse livro decepcionou tanta gente, eu mesma ja me sinto decepcionada antes de ler. Pelo jeito esse livro tinha tudo pra dar certo, mas talvez se perdeu no caminho e dai o motivo para tanta resenha negativa. Eu ja nem sei se vou ler, e fico triste com isso, pois criei muitas expectativas.

Elizete Silva - 28, agosto 2020 às (16:16)

Olá! Eu estava com um pé atrás em relação a esse livro, mas depois de algumas resenhas, é chance quase zero de dar uma oportunidade à leitura. Por tudo que andei lendo, a construção dos personagens deixou bastante a desejar, então esse eu vou deixar passar.

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2020 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício