Coluna da Duhau #5 - Ícones da Música | Minha Vida Literária
21

ago
2011

Coluna da Duhau #5 – Ícones da Música

Hello, people! Mais um domingo chegou e com ele a depressão a Coluna da Duhau o/ Essa semana o tema foi Ícones da Música. Então decidi postar palavras mais simples do que estava postando, pois nem só de palavras difíceis vive um ser humano.

Então, sem mais lengalenga, vamos às palavras:

Segunda-feira:
– FOLHETIM –
“Mas na manhã seguinte/ Não conta até vinte/ te afasta de mim/ pois já não vales nada/ És página virada/ Descartada do meu folhetim.” (Chico Buarque, Folhetim, 1985)
Chico Buarque é famoso por compor fazendo uso do ‘eu’ lírico feminino. Em folhetim por exemplo, ele personifica uma mulher que não se prende emocionalmente ao seu parceiro, afastando-o pós ter seus desejos preenchidos. Folhetins eram narrativas de caráter melodramático, que costumavam ser publicadas pela imprensa regularmente,em capítulos. Eram muito populares no século XIX. Na música de Chico Buarque, o termo Folhetim é uma referência à vida movimentada do ‘eu’ lírico.

Terça-feira:
– PRONTIDÃO –
Recentemente, com a morte precoce da cantora Amy Winehouse, falou-se muito na “maldição dos 27 anos”, já que, além de Amy, alguns ícones da música faleceram com a mesma idade, como Kurt Cobain, Jimi Hendrix e Janis Joplin, por exemplo. Um jovem músico brasileiro nascido em 1910 faleceu devido à tuberculose em 1937, quando copmpletaria 27 anos. Este foi Noel Rosa, um dos ícones do samba. Na canção “Filosofia”, Noel trata a sociedade da época, criticando a aristocracia e em contrapartida fazendo referência aos sambistas, considerados “vagabundos”. “Nesta prontidão sem fim/vou fingindo que sou rico/ pra ninguém zombar de mim” (Filosofia, Noel Rosa). No trecho, o termo prontidão designa o estado de estar pronto para realizar algo, mas isso não significa necessariamente que algo vá acontecer. A expressão ‘prontidão sem fim’ remete a uma longa espera.

Quarta-feira:
– CALHAMBEQUE –
Roberto Carlos imortalizou o termo calhambeque ao escrever uma música com este nome. Calhambeque é um automóvel velho, em estado ruim de conservação, que frequentemente apresenta problemas em seu funcionamento. O termo também pode se referir a embarcações e outros objetos danificados, destruídos e sem uso. Na canção “O calhambeque”, ele conquista mais garotas com um carro velho do que com seu Cadillac, estabelecendo assim, uma relação afetiva com automóvel.

Quinta-feira:
– TROPICÁLIA –
A Tropicália foi um movimento estético, social, político e cultural articulado entre música, artes plásticas, poesia e cinema, surgido no final da década de 1960, que se caracterizou pela combinação de elementos típicos da cultura brasileira com os da arte pop e vanguardistas, com raízes no Modernismo de 1922. Na época em que surgiu, nos festivais de música organizados pela TV Record, seus artistas – como Caetano Veloso, Gilberto Gil e Os Mutantes – foram criticados por supostamente aderirem às influências do imperialismo americano, ao invés de fortalecer a cultura nacional ou escrever músicas de protesto contra o então governo ditatorial. O Tropicalismodefendia-se alegando que as experiências estéticas da sua arte já eram, por si só, um instrumento social revolucionário.

Sexta-feira:
– REABILITAÇÃO –
Amy Winehouse, falecida no dia 17 de Julho deste ano, compôs uma música chamada “Rehab”, na qual negava a reabilitação. A cantora, entretanto, internou-se algumas vezes em clínicas de reabilitação, na tentativa de se livrar do vicío nas drogas. Na medicina, reabilitação é o processo de restabelecimento da saúde física e/ou mental por meio de cuidados médicos. As clínicas que têm esssa finalidade impõem ao paciente a abstinência total das substâncias o viciaram – que podem ser tanto as drogas mais conhecidas quanto analgésicos e outros medicamentos – , além de um acompanhamento psicológico.

E nessa semana não vou fazer homenagem a nenhuma palavra especificamente, mas sim ao tema como um todo. Apresento-lhes um vídeo de 1967 do Festival de Música Nacional que rolava pela Rede Record e era o evento de música mais famoso do Brasil. Nesse festival era escolhida a música campeã do ano, ou seja, a melhor. Nesse ano especificamente ganhou uma música pela qual sou apaixonada, chamada “Ponteio”, música de Edu Lobo.
Vejam abaixo o vídeo, tentem relevar a má qualidade de som e de imagem dele. A música realmente vale a pena, caso queiram baixar, abaixo do vídeo segue o link.

 

Por hoje é isso, pessoal. Quis deixar uma música puramente brasileira com vocês porque acho que devemos valorizar mais nossa música. Sou louca por uma boa MPB e não abro mão de músicas e artistas nacionais na minha playlist. Obviamente que adoro artistas e bandas internacionais, mas acho que não devemos somente escutá-los e esquecer dos gênios que temos aqui no Brasil. Chega de falatório, despeço-me aqui. Não deixem de passar lá no Livrificando e conferir tudo que rola por lá, ok?
Beijo e uma ótima semana pra todo mundo o/ 




Deixe o seu comentário

13 Respostas para "Coluna da Duhau #5 – Ícones da Música"

Marcelo Lima - 21, agosto 2011 às (19:08)

Deusa me livre da maldição dos 27 ! ahsusa muitoo bom “)

Evellyn - 21, agosto 2011 às (22:02)

AHh
realmente é cada coisa na vida… Essa dos 27 eu fiquei meio :O
Não sou mt de musica nacional, então so conhecia a Calhambeque (que né..)

bjs
hey Evellyn!

Julia G - 21, agosto 2011 às (22:54)

Que lindo! Adorei a coluna de hoje, mesmo com palavras mais simples, realmente uma ótima escolha. A música brasileiro tem ótimos trabalhos para mostrar.

Beijos
Conjunto da Obra

Vanvan - 21, agosto 2011 às (23:05)

Olha só, o blog esta de cara nova, ficou muito bom mesmo.
Aione, que pena você não ter visto o sorteio dos marcadores la no Balaio, maaaas como você é uma frequentadora assídua, vou lhe mandar um ok. Me envie seu endereço flor. Beijão
vmeiser@hotmail.com

Balaio de Livros.

Eduarda Menezes - 22, agosto 2011 às (00:14)

Ahhh Calhambeque do Roberto, adoroo ^^
Dá até vontade de ter um calhambeque escutando a música!!

Essa maldição dos 27 tá dando mesmo o que falar!! Ainda bem que eu não sou artista heim, espero que meus 27 sejam tranquilos!! ;D

Beijão pra você Duhau querida!! ^^

E Miii, tô vendo que você está lendo Feios, tô louca pra ler esse livro (tá na minha estante mas ainda não chegou a vez dele rsrs) Aguardo sua resenha pois sempre confio muito nelas, pois transparecem a sua sinceridade e são sempre bem fundamentadas e muito bem escritas! Espero que você esteja gostando pois agora já comprei e vou ter que ler de todo jeito hehehe! ^^

Bjãoo pra duas!! ;*

Naty - 22, agosto 2011 às (00:36)

Adoreei a coluna de hoje ;D

A música brasileira realmente possui grandes nomes, apesar de eu não gostar muito de MPB escuto outras músicas brasileiras ^^

Bjim;*
Naty – Just Books !

Nana - 22, agosto 2011 às (06:09)

Oiee
Adorei as palavras de hoje!
Ai essa música Folhetim é ótima lembro de uma apresentação que fizeram dela na faculdade, ficou tão sexy HAHAHAHAHA

E esse negócio dos 27 anos, O.o
Adorei o lay novo, ta todo mundo mudando os lays.

bjs e uma ótima semana
Nana _ Obsession Valley

Pabline - 22, agosto 2011 às (14:51)

Amei o tema da coluna, o significado das palavras envolvidas no mundo musical ficou maravilhoso.
Amo a Amy, diva!
BJ!

Amigas Entre Livros

Bruno Miranda - 22, agosto 2011 às (14:55)

Eu também não conhecia algumas, só o do Calhambeque e Rehab. Que medo desse clube dos 27, né? Eu adoro as músicas da Amy, parabéns pelo post! Beijos,

@minha_estanteMinha Estante

Camila Costa - 22, agosto 2011 às (17:02)

Adorei o post;
nao conhecia todas as músicas; tbm curto mt a Amy
beijoo

Cabelos ao Vento

Lucas Martins - 22, agosto 2011 às (20:00)

Ficou muito bom!
E concordo que devemos dar mais valor a nossa música, porque há muito brasileiro por aí que não tem a mínima ideia de quem é: Erasmo Carlos ou Elis Regina… Adoro MPB. Enfim, adorei a coluna! rsrsrs.
Até a próxima!
Bjão.

Sora Seishin - 22, agosto 2011 às (22:04)

Oi meninas!
Que legal essa coluna musical *-*
Ai maldição dos 27 anos?? Eu tenho 27!!! #medo
Beijos,
Sora – Meu Jardim de Livros

Clícia Godoy - 24, agosto 2011 às (00:56)

HUahsuas

Conesso que só li folhetim!
asgaysgyas

Adoro essa música! É tão duplo sentido!
=D

Bjinhos
Psiu!
Silêncio Que Eu To Lendo!

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por