[Resenha] Gay de Família — Felipe Fagundes - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
07

fev
2023

[Resenha] Gay de Família — Felipe Fagundes

Diego espera tudo de ruim dos próprios parentes, mas tudo mesmo. Que o pai tenha uma segunda família. Que a mãe comande um esquema de tráfico humano. Que o irmão lave dinheiro. Por serem versados em todos os crimes do manual da família tóxica, Diego decidiu ser gay bem longe deles. E tudo vai muitíssimo bem, obrigado.
Porém, às vésperas de uma viagem aguardadíssima com amigos, seu irmão aparece implorando por um favor: que Diego seja babá dos três sobrinhos por um final de semana, crianças com as quais ele nunca conviveu. De olho na grana que o irmão promete pagar e acreditando piamente no seu potencial como tio, ele aceita a proposta sem imaginar que os pequenos são, no mínimo, peculiares.
O que a princípio parece moleza, mesmo envolvendo uma gata demoníaca, um amigo imaginário e um porteiro potencialmente sádico, acaba se revelando um desafio quando Diego percebe que terá que revirar seus sentimentos e provar que pode dar conta do recado, sem perder o rebolado que apenas um tio gay é capaz de manter.

 

Ficha Técnica

Título: Gay de Família
Autor: Felipe Fagundes
Editora: Paralela
Número de Páginas: 336
Ano de Publicação: 2022
Skoob: Adicione
Compre: Amazon

 
 
 

Resenha: Gay de Família

Gay de família é a estreia de Felipe Fagundes na editora Paralela. O livro tinha sido primeiramente publicado como novela de maneira independente; ao ser contratado pelo selo adulto de entretenimento do grupo Companhia das Letras, ganhou cenas extras para se transformar em romance.

Diego cortou contato com a família há vários anos. Criado em um ambiente conservador — e tóxico — preservou a própria sanidade ao se manter longe de todos. Diogo, seu irmão, esporadicamente entra em contato quando precisa de um favor e é o único a manter alguma ligação com Diego. Por isso, quando Diogo implora para que o irmão cuide dos sobrinhos por um fim de semana, Diego não está nem um pouco a fim de ajudar. Porém, quando percebe que pode ganhar um bom dinheiro com isso, ele aceita, sem imaginar que a tarefa seria muito mais complicada do que supunha.

Em primeira pessoa, Gay de família é um dos livros mais hilários que li. A narrativa é para lá de envolvente, em tom coloquial e que remete muito da oralidade do português, o que deixa o texto muito agradável e íntimo. A sensação é a de estarmos conversando com um amigo, o que nos aproxima de Diego. Ele, aliás, é uma figura um tanto quanto peculiar. Felipe Fagundes foi muito feliz em mesclar os traumas do protagonista com sua personalidade empoderada e, ao mesmo tempo, que não esconde os próprios defeitos. Diego é o primeiro a se assumir interesseiro, por exemplo, e a plena convicção de saber quem se é ressoa como um grito de liberdade.

Essa mescla se estende também para os temas abordados. Embora Gay de família traga praticamente uma diferente piada por parágrafo — e acredite, isso não é nada cansativo — aborda temas delicados como homofobia e traumas familiares. Muito do humor disfarça o que há de triste e injusto na vida de Diego, e a leveza com que tudo é passado dá sensibilidade para a leitura e permite a percepção da densidade ao fundo.

Mas Diego não é a única estrela em Gay de família. Os três Diogos, como ele se refere aos sobrinhos, são personagens únicas e encantadoras. Morri de rir com as inúmeras situações absurdas por eles protagonizadas, assim como me emocionei com a relação que elas estabelecem com o tio. As noções de pertencimento, família e conexão despertam gostosos sorrisos ao longo da leitura — e, talvez, alguns olhos marejados.

Li Gay de família em poucas horas, porque é dessas leituras que a gente consegue fazer de uma só vez. Não bastasse ter me divertido a cada página, Felipe Fagundes também me fez rir com um dos agradecimentos mais criativos que já li. Para quem procura uma boa diversão e que, de quebra, ainda proporciona uma bonita mensagem sobre o verdadeiro significado de família e da importância de se respeitar a própria essência, essa é uma ótima pedida — e fica o lembrete de que é uma obra de conteúdo adulto. 





Deixe o seu comentário

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2023 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício