[Resenha] Proibida Pra Mim — Tayana Alvez - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
03

nov
2021

[Resenha] Proibida Pra Mim — Tayana Alvez

Você já imaginou ser uma mulher forte, independente, decidida e ainda assim se envolver numa relação com um boy nada a ver pra agradar seus pais?
Pois, é. Lavínia Loviz fez isso.
Contudo, o resultado foi um belíssimo chifre em plena Nova Iorque!!! Que ela decidiu superar… Bem, com um cara que é o tipo dela.
Daniel Melo.
Mais velho, atencioso, gentil e um grandessíssimo gostoso, com quem Lavínia passa um fim de semana intenso e quente.
Mas, de volta ao Brasil, Lavínia não esperava dar de cara com Daniel novamente, e, com certeza, não esperava encontrá-lo no dia que fosse apresentada ao pai da sua melhor amiga.

 

Ficha Técnica

Título: Proibida Pra Mim
Autor: Tayana Alvez
Editora: Autopublicação
Número de Páginas: 645
Ano de Publicação: 2021
Skoob: Adicione
Compre: Amazon

 
 
 

Resenha: Proibida Pra Mim

Proibida pra mim é o quarto romance de Tayana Alvez e seu primeiro erótico — apesar de haver cenas sensuais nos anteriores, elas não eram suficientes para configurá-los como Hot. Publicado de maneira independente na Amazon, o livro me surpreendeu por entregar os clichês do gênero, mas também ir além deles.

Lavínia é uma mulher independente e confiante de si, mas que se envolveu em uma relação que nada tinha a ver com ela apenas para agradar os pais — eles não aceitam seu interesse exclusivo por homens muito mais velhos do que ela. O resultado é sua frustração ao ser traída em plena Nova York, situação da qual ela decide tirar algum proveito quando encontra um cara exatamente do seu número e a oportunidade de viver um final de semana inesquecível. Ciente de que nunca mais se verão, os dois se entregam aos prazeres do momento… Até se reencontrarem no Brasil, e Lavínia descobrir que Daniel é o pai de sua melhor amiga.

Com uma escrita deliciosa, Tayana Alvez entrega uma história que faz jus às suas mais de 600 páginas. Em primeiro lugar, porque é muito fácil se envolver com os personagens e cenários, de maneira que engatamos naquele tipo de leitura que não queremos parar, sentindo como se fizéssemos parte daquilo. Depois, porque cada momento é necessário para construir os dilemas, muito bem trabalhados, que explodem principalmente na segunda metade do livro. Em terceira pessoa, Proibida pra mim acertou em cheio na escolha narrativa, já que ela possibilita os diferentes pontos de vista necessários no desenvolvimento dos conflitos enfrentados pelos personagens.

Aqui, vale dizer que os pilares do enredo não estão apenas em Lavínia e Daniel, mas também em Amanda — melhor amiga de Lavínia e filha de Daniel. Mesmo que ela não seja a protagonista, ela é parte fundamental da relação de Lavínia com Daniel, então é muito importante que Tayana Alvez tenha dedicado atenção a ela também. Sem isso, seria mais difícil compreender as escolhas do casal e os anseios que permeiam a relação.

A química entre Lavínia e Daniel é inegável, e Proibida pra mim fornece um romance quente e intenso capaz não só de nos deixar com a sensação de estar pegando fogo, mas principalmente de elevar as expectativas sobre relacionamentos a um outro patamar. O amor que nasce entre os dois é tocante, especialmente por haver tanto respeito e carinho um pelo outro. Assim, o livro também oferece uma história de amor encantadora, capaz de provocar suspiros nos que buscam tramas apaixonantes.

Mas, para além da leitura deliciosa e envolvente, o que certamente me encantou foram os temas presentes na obra e como Tayana Alvez os desenvolveu. Traumas, paternidade e a difícil dinâmica de relações diversas — familiares, amorosas, de amizade — aparecem bem mesclados e trabalhados com sensibilidade. Por detrás da personalidade impetuosa e confiante de Lavínia, há uma mulher repleta de dores e inseguranças, que justificam sua posição sempre na defensiva; Daniel é um homem apaixonante, mas especialmente porque se esforça para ser assim, devido à culpa por ter sido um pai ausente. Dessa forma, todos os personagens estão sujeitos a erros e acertos, e gostei muito de ver essa humanidade. Mesmo nos momentos em que seria tão fácil julgá-los, compreendi que eram apenas pessoas limitadas a agir conforme o que era possível a elas em cada momento. Mais do que boas ou más, certas ou erradas, são pessoas lidando com suas próprias bagagens.

Não seria possível deixar de mencionar os núcleos familiares e de amizade que rodeiam Lavínia e Daniel. Com diálogos ágeis e capazes muitas vezes de provocar risos, Tayana constrói relações apaixonantes e personagens as quais é muito fácil se apegar. Talvez, minha única crítica ao livro esteja no retrato dos amigos de Amanda. Senti como se o grupo fosse mais jovem do que a verdadeira idade, seja por como se portam ou por como são tratados pelos pais. Há essa necessidade de se pontuar a maturidade precoce de Lavínia, mas tive dificuldade de vê-los como jovens adultos, enxergando muito mais adolescentes. Ao mesmo tempo, há também, como contraponto a essa crítica, o parâmetro de classes sociais: sendo esse um grupo mais abastado, o tratamento e as situações de vida são bem diferentes, por exemplo, das amigas de infância de Lavínia, mais pobres.

No fim, Proibida pra mim se tornou meu novo romance favorito de Tayana Alvez, que me surpreende a cada nova história por sua perceptível crescente maturidade como autora. É um prazer acompanhar de perto o trabalho de alguém criativa e com tantas coisas para contar, porque o resultado são sempre prazerosas horas imersas em leituras mais do que cativantes. Vale lembrar que o livro é o primeiro da série For.bi.dden, que muito em breve trará o segundo volume, protagonizado por Duda e Oliver, personagens secundários em Proibida pra mim.





Deixe o seu comentário

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2021 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício