[Resenha] O Plano Quase Perfeito — Bruna Mazzali e Erika Leonardo - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
19

out
2021

[Resenha] O Plano Quase Perfeito — Bruna Mazzali e Erika Leonardo

Alice trabalha em um famoso ateliê de vestidos de noivas. Sua vida é bastante tranquila e ela tinha um sonho: ter sua própria loja. Mas como nada em sua vida acontece de acordo com os planos, tudo muda quando um dia ela deixa sua curiosidade vencer e se mete na maior confusão de sua vida.
Eduardo está atrasado e em conflito quando é obrigado a resgatar uma maluca correndo pela rua vestida de noiva. Ele só não imaginava que seu mundo seria virado de cabeça para baixo, quando o destino resolve juntá-los.
De forma surpreendente e divertida a vida desses dois estranhos, tão diferentes, será interligada. Resta saber se eles estarão preparados para abandonar seus planos tão bem pensados e seguir novos planos (quase) perfeitos.

 

Ficha Técnica

Título: O Plano Quase Perfeito
Autor: Bruna Mazzali e Erika Leonardo
Editora: The Gift Box
Número de Páginas: 156
Ano de Publicação: 2019
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Amazon

 
 
 

Resenha: O Plano Quase Perfeito

O Plano Quase Perfeito é a comédia romântica de Bruna Mazzali e Erika Leonardo publicada pela editora The Gift Box. A história é seguida por dois spin-offs, Operação Quase Perfeita e Encontro Mais Que Perfeito, que trazem, respectivamente, um enredo protagonizado por personagens secundários do primeiro livro e, no último volume, o reencontro dos dois casais.

Alice é uma estilista que ainda não pôde abrir seu próprio negócio, então depende de seu trabalho em um ateliê de noivas. Encarregada de cuidar de um vestido especial e caríssimo, cravejado de jóias, ela se vê em uma confusão inesperada quando, após experimentar o vestido às escondidas, acaba sendo sequestrada junto de um desconhecido, o que dá início a uma série de eventos pra lá de inusitados.

A primeira coisa a ser dita de O Plano Quase Perfeito é que o livro é como um filme de comédia absurda, cujo humor deriva de eventos mirabolantes e muitas reviravoltas, sem que o intuito seja a representação fiel do cotidiano. Assim, a obra de Bruna Mazzali e Erika Leonardo entrega um enredo extremamente ágil por meio de uma leitura fluida e repleta de humor. É o típico livro para se ler de uma só vez e encontrar uma boa diversão.

A história é narrada em primeira pessoa pela perspectiva de diferentes personagens, principalmente Alice e Eduardo, o que deixa a trama mais interessante por vermos as dificuldades que cada um enfrenta e os mal-entendidos surgidos entre eles, proporcionando uma dose extra de diversão e conflitos. A escrita é leve, direta e dinâmica, sem se aprofundar demais em explicações ou mesmo nas questões de cada personagem, já que não é esse seu foco.

Como é comum em livros nacionais contemporâneos, há diferentes referências e elementos que nos deixam com a sensação de pertencimento e proporcionam uma gostosa identificação. Também, o romance cheio de tensão por causa da atração entre o casal nos faz ficar torcendo por eles. Vale dizer que, apesar dos comentários apimentados, esse não é um romance erótico, sem que haja cenas sensuais com maiores descrições.

Em linhas gerais, O Plano Quase Perfeito é uma leitura gostosa e hilária para se passar o tempo, com personagens cativantes e um enredo extremamente ágil. É uma boa pedida para sair de uma ressaca ou para quem busca uma leitura descompromissada, sem grandes aprofundamentos.

 

AS CAPAS DA SÉRIE





Deixe o seu comentário

2 Respostas para "[Resenha] O Plano Quase Perfeito — Bruna Mazzali e Erika Leonardo"

Camila Faria - 20, outubro 2021 às (21:40)

Oi Aione, você sabe quem fez as artes das capas? Estão super lindas, né? Um abraço 🙂

Aione Simões - 25, outubro 2021 às (12:27)

Oi, Camila! Na ficha catalográfica do livro, a ilustração é da Talissa (Ghostalie) e a arte da capa da Carol Dias!

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2021 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício