[Resenha] Acorda Pra Vida, Chloe Brown — Talia Hibbert - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
25

maio
2021

[Resenha] Acorda Pra Vida, Chloe Brown — Talia Hibbert

Depois de quase ser atingida por um carro em alta velocidade, Chloe Brown se deu conta de que seu obituário seria um tanto entediante. Para reverter essa situação, ela decide montar uma lista de atividades necessárias para finalmente “acordar para a vida”.
Mudar assim não é nada fácil, mas, para sua sorte, Chloe encontra alguém que — mesmo a contragosto — pode ajudá-la nessa missão. Seu vizinho Red Morgan é um motoqueiro misterioso, que tem várias tatuagens e mais sex appeal que uma estrela de Hollywood.
No entanto, um acordo leva Chloe e Red a se aproximarem e perceberem que suas primeiras impressões um do outro estavam erradas. E que, mesmo com traumas do passado e receios quanto ao futuro, o amor nunca perde a chance de surpreender.

 

FICHA TÉCNICA

Título: Acorda Pra Vida, Chloe Brown
Título original: Get A Life, Chloe Brown
Autor: Talia Hibbert
Tradução: Lígia Azevedo
Editora: Paralela
Número de Páginas: 296
Ano de Publicação: 2021
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSubmarino

 

RESENHA: Acorda Pra Vida, Chloe Brown

Acorda Pra Vida, Chloe Brown é o primeiro romance da série As Irmãs Brown, de Talia Hibbert, sendo cada livro único e protagonizado por uma diferente irmã. É lançamento da editora Paralela e conta com a tradução de Lígia Azevedo.

Chloe Brown demorou a ser diagnosticada com fibromialgia. Até então, as dores crônicas não só limitaram sua vida como fizeram de Chloe obcecada por controle e planejamento. Assim, quando é quase atropelada, Chloe percebe que quase não desfrutou de aventuras e momentos eletrizantes, o que faria de seu hipotético obituário um tanto quanto sem graça. Então, ela elabora uma lista de experiências a cumprir, buscando uma maneira de acordar para a vida. 

Talia Hibbert tem a mistura certa entre uma escrita leve, divertida e simultaneamente sensível — e até mesmo poética. Gostei muito de como a autora imprime a literariedade em diferentes passagens, especialmente através de metáforas e comparações. A narrativa alternada entre as perspectivas em primeira pessoa de Chloe e Red, seu vizinho, não apenas torna a leitura mais rica por trazer a visão individual dos protagonistas como mais uma vez demonstra a habilidade da autora ao assumir as vozes de cada um. A narrativa de Red é marcada por vários palavrões e uma oralidade mais notável, que se contrapõe ao jeito certinho de Chloe. As distinções de vocabulário, para além de compor suas personalidades, destacam também a diferença de classe entre eles, que aparece não apenas como uma construção sócio-política, mas como parte importante do desenvolvimento de Red e de seus complexos advindos do passado.

Outro aspecto sócio-político importante em Acorda Pra Vida, Chloe Brown é o fato de Talia Hibbert ser negra, assim como Chloe. A representatividade aparece aqui sem que necessariamente haja a discussão de raça. Há, em determinada passagem, o apontamento racializado de que as experiências de Chloe e Red são diferenciadas pelo fato de ele ser branco e ela não, mas os conflitos da protagonista não giram ao redor disso — o que é extremamente importante. É necessário que as vivências de pessoas negras sejam representadas em suas totalidades e complexidades, não apenas definidas pelas dores do racismo. Uma mulher negra e gorda, como Chloe, tem o direito de viver seu próprio romance leve e divertido, protagonista de sua jornada, enfrentando dificuldades que vão além de sua cor e aparência. Outros temas importantes presentes na leitura são os relacionamentos abusivos — e a autora foi ótima em como o inseriu — e as dificuldades relacionadas a doenças de difícil diagnóstico, como a fibromialgia, tendo impacto direto no estilo de vida e socialização de cada indivíduo.

Uma das coisas que mais gostei em Acorda Pra Vida, Chloe Brown foi a construção dos personagens. Com seus mais de 30 anos, carregam suas próprias bagagens, e Talia Hibbert desenvolveu essas dificuldades com muito cuidado, de forma a ter sido impossível não sentir os dois como pessoas reais. Também, foi impossível não me identificar com muitos de seus medos. Há muita angústia no choque entre esses receios, de maneira a nos sensibilizar e a nos fazer torcer pelo melhor para Chloe e Red.

Apesar disso, a leitura de Acorda Pra Vida, Chloe Brown é predominantemente leve e divertida, com diálogos bem-humorados e situações engraçadas — elementos essenciais em uma ótima comédia romântica. O livro foca no casal e no desenvolvimento do romance, acertando ao balanceá-lo com a evolução individual de cada um e trazendo para discussão doenças crônicas como a fibromialgia. Fica o aviso de que esse é um romance adulto, com cenas e descrições eróticas, não sendo recomendado para um público mais jovem.

 

Série As Irmãs Brown





Deixe o seu comentário

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2021 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício