[Resenha] Meu Corpo Minha Casa — Rupi Kaur | Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
02

fev
2021

[Resenha] Meu Corpo Minha Casa — Rupi Kaur

Um dos temas mais frequentes na obra de Rupi Kaur é a importância que há em crescer e estar sempre em movimento. Em Meu corpo minha casa, ela leva leitoras e leitores a uma jornada de reflexão através da intimidade e dos sentimentos mais fortes, visitando o passado, o presente e o potencial que existe em nós. Os poemas dessa coletânea, ilustrada pela autora, inspiram uma conversa interna em cada um, lembrando que precisamos nos preencher de amor, de aceitação e de confiança em nossas relações familiares e de comunidade. E, sempre precisamos estar de braços abertos para as mudanças em nossas vidas.

 

Ficha Técnica

Título: Meu Corpo Minha Casa
Título original: Home Body
Autor: Rupi Kaur
Tradução: Ana Guadalupe
Editora: Planeta
Número de Páginas: 192
Ano de Publicação: 2020
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSubmarino

 

Resenha: Meu Corpo Minha Casa

Meu Corpo Minha Casa é a terceira coletânea de poemas de Rupi Kaur, que ficou famosa com a publicação de Outros Jeitos de Usar a Boca. No Brasil, a autora é traduzida por Ana Guadalupe e publicada pela editora Planeta.

Assim como em suas outras obras, Meu Corpo Minha Casa se divide em quatro partes, que englobam textos de uma mesma temática: Mente, Coração, Repouso e Despertar. Apesar da divisão em partes, todos estão conectados por ideias convergentes, que passam por amor próprio e transformação, em uma perspectiva de subjetividade, além do cunho político, em uma perspectiva social. 

Aliás, dos livros de Rupi Kaur, esse foi o que mais me soou declaradamente político, embora todos o sejam. A lógica capitalista é abertamente explorada e criticada, sendo intrinsecamente relacionada às questões individuais, como nossa perspectiva de valor próprio sendo atrelada à produtividade, o afastamento das relações pessoais provocado pela cobrança excessiva de trabalho, além do desgaste mental e físico resultantes desse excesso. Em nível comunitário, a autora aborda a exploração da classe trabalhadora, questiona direitos sociais, retrata os preconceitos sofridos por imigrantes e toca na exploração dos recursos naturais ao levantar a importância da conexão com o meio-ambiente, em uma perspectiva que é, também, espiritual.

Os versos de Rupi Kaur são livres e muito próximos da oralidade. Os poemas, no geral, são curtos, por vezes de até quatro versos, e carregam tanto um tom de denúncia, quanto de desabafo e reivindicação. Ao falar de suas dores, a autora nos permite olhar as nossas e abraçar aquelas que não nos dizem respeito. É uma leitura ao mesmo tempo interna e externa, sobre nós e sobre o outro. Acima de tudo, é uma leitura de comunhão, que clama por conexão, seja interpessoal, seja intrapessoal, seja com o planeta em que habitamos.

Embora não tenham sido todos os poemas que me agradaram — alguns me soavam como pensamentos muito soltos ou mesmo lugares-comum —, gosto muito do trabalho de Rupi Kaur, especialmente pelas temáticas tratadas pela autora. Há sensibilidade em sua escrita, além de gentileza em seu tom que nos instiga a abraçar quem somos, a nos permitir crescer em nossas jornadas. Vale dizer que, como nas demais coletâneas, Meu Corpo Minha Casa é também ilustrado pela autora, em ilustrações que complementam muito bem os escritos.





Deixe o seu comentário

Uma resposta para "[Resenha] Meu Corpo Minha Casa — Rupi Kaur"

Angela Cunha - 03, fevereiro 2021 às (07:05)

Eu ainda não li nada da autora, mas já tive contato com trechos de seus poemas soltos pelo mundo literário, por isso, adorei ao ler o nome dela em mais esse trabalho!!
Pena que não funcionou assim, tão bem,mas mesmo assim, adorei o título e se puder, quero conferir!!!
Beijo

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2021 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício