[Resenha] Outros Jeitos de Usar a Boca — Rupi Kaur | Minha Vida Literária
23

nov
2018

[Resenha] Outros Jeitos de Usar a Boca — Rupi Kaur

Título: Outros Jeitos de Usar a Boca
Título original: Milk and Honey
Autor: Rupi Kaur
Tradução: Ana Guadalupe
Editora: Planeta
Número de Páginas:  208
Ano de Publicação: 2018
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

‘outros jeitos de usar a boca’ é um livro de poemas sobre a sobrevivência. Sobre a experiência de violência, o abuso, o amor, a perda e a feminilidade. O volume é dividido em quatro partes, e cada uma delas serve a um propósito diferente. Lida com um tipo diferente de dor. Cura uma mágoa diferente. Outros jeitos de usar a boca transporta o leitor por uma jornada pelos momentos mais amargos da vida e encontra uma maneira de tirar delicadeza deles. Publicado inicialmente de forma independente por Rupi Kaur, poeta, artista plástica e performer canadense nascida na Índia – e que também assina as ilustrações presentes neste volume –, o livro se tornou o maior fenômeno do gênero nos últimos anos nos Estados Unidos, com mais de 1 milhão de exemplares vendidos.

Outros Jeitos de Usar a Boca é a coletânea de poemas de Rupi Kaur, publicada no Brasil pela editora Planeta. A opção do título em português — bastante distante do original, Milk and Honey — remete à parte do conteúdo que será encontrado nos versos: uma poesia empoderadora feminina, que, entre outras temáticas, questiona o sistema patriarcal e o local da mulher na sociedade.

O livro é dividido em quatro temáticas principais: A Dor, O Amor, A Ruptura e A Cura. Em cada uma delas, Rupi Kaur discorre com sensibilidade e precisão. Como a maioria dos poemas é bastante curta, a autora precisa transmitir sua mensagem em poucas palavras, o que ela faz com facilidade. Também, por conta da própria extensão, os versos se tornam ainda mais impactantes.

Como as poesias de Outros Jeitos de Usar a Boca são estruturadas em versos livres, há uma fluidez que os percorre. Há uma sensação narrativa em cada poema, mesmo nos menores; no caso dos mais longos, assumem um ar mais próximo de um texto em prosa, como uma crônica, por exemplo. Ainda, não pude deixar de me perguntar sobre o trabalho de tradução. Se traduzir por si só já é um processo complicado, em se tratando de poesia as dificuldades são redobradas, visto que muitas vezes há um trabalho de sonoridade que pode ser perdido na transposição de um idioma para outro. Não li os poemas no original, mas tive a sensação de que Ana Guadalupe, tradutora, conseguiu realizar no português algo muito próximo do trabalho em inglês, mantendo, assim, a proximidade com a escrita de Rupi Kaur.

Além da escrita propriamente dita, muitos dos poemas são acompanhados de ilustrações da própria autora, o que amplifica a experiência de leitura. Os traços são leves e, muitas vezes, bastante simples, mas extremamente expressivos.

O que posso dizer é que fiquei encantada pela leitura. Já havia me deparado com trechos de poemas pelas redes sociais, mas foi ótimo poder ler Outros Jeitos de Usar a Boca como um todo. Fiz uma leitura rápida, mas que me despertou emoções e reflexões. O que mais gostei, sem dúvida alguma, foram as temáticas abordadas por Rupi Kaur e seu olhar sensível e crítico para elas. Há poemas mais leves, outros bastante pesados, e em todos uma forte presença emocional. A autora, em especial, coloca a mulher em evidência e questiona diferenças ocorridas entre os gêneros, seja em relação ao sentir, seja em relação ao tratamento dado a homens e mulheres — e a violência contra a mulher não fica de fora do retratado. Muitos poemas, ainda, abordam a sexualidade feminina e adorei a maneira de como isso foi feito, evidenciando o direito da mulher à própria sensualidade, que não deve jamais existir para nos subjugar ou diminuir. Para mim, esse é um livro, acima de tudo, sobre resistência.





Deixe o seu comentário

5 Respostas para "[Resenha] Outros Jeitos de Usar a Boca — Rupi Kaur"

Angela Cunha - 24, novembro 2018 às (00:06)

Mais um livro que tenho um carinho enorme desde seu lançamento. Por amar poesia ou qualquer trechinho que traga “alma” de escritor, eu já fico feliz em ler.
E este livro é bem isso, alma e coração!
Cada frase, cada trechinho, traduz certamente a alma de poeta. Os sentimentos ali, em cada letrinha exposta no papel.
Os trechos com ilustrações conseguem tocar o leitor ainda mais!
Quero muito ainda ter esta obra…
Beijo

Responder

Anna Mendes - 24, novembro 2018 às (17:58)

Oi Aione!
Adorei a resenha! <3
Nossa, este livro está bombando muito desde que foi lançado! Só vejo comentários positivos sobre ele!
Não costumo ler poemas, mas estou com cada vez mais curiosidade de ler esse livro e de conhecer o trabalho da autora. Gostei de saber que ela faz críticas sociais em seus poemas! Parece ser uma leitura muito intensa e impactante!
Bjos!

Responder

Vitória Pantielly - 25, novembro 2018 às (22:25)

Oi Aione,
É um dos meus livros desejados…
Confesso que não sou de ler poemas/poesias, mas esse livro, aaah, só por trazer a força feminina, sua luta, e em palavras poéticas, conquista o leitor.
Gostei de saber que tem ilustrações, é uma forma de deixar ainda mais linda a edição …
Bom saber que a autora conseguiu comover, mesmo com palavras que ferem um pouco, é bem real tudo o que ela escreveu.
Beijos

Responder

Ana Carolina Alves - 26, novembro 2018 às (15:54)

Oi, Aione.

Quanto tempo não visitava o blog.

” Outros jeitos de usar a boca” é uma leitura que estou doida pra fazer e quero fazer junto com outras com foco em feminismo e o papel da mulher.

Beijos,

Ana.

Responder

Ana I. J. Mercury - 29, novembro 2018 às (21:58)

Pela sua resenha deu pra ver que é um livro especial.
Minha melhor amiga sempre o indica pra mim, ela amou muito, então, tô ansiosa pra compra-lo!
Poesias são sempre bem-vindas e esse parece trazer um toque profundo de empoderamento!
bjs

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por