[Livros Na Telona] Dumplin' — Julie Murphy - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
18

dez
2020

[Livros Na Telona] Dumplin’ — Julie Murphy


Sobre o Livro: Dumplin’

Título: Dumplin’
Título original: Dumplin’
Autor: Julie Murphy
Tradução: Heloísa Leal
Editora: Valentina
Número de Páginas: 336
Ano de Publicação: 2017
Skoob: Adicione
Compre: AmazonAmericanasSubmarino

Dumplin’ é o segundo livro de Julie Murphy e o primeiro de uma trilogia, cujos livros seguintes acompanham personagens de Clover City, local onde a história se passa. Há também um spin-off, Dear Sweet Pea, situado entre o 2º e o 3º livros, e voltado a um público mais jovem do que os demais. Nenhum desses romances foi publicado no Brasil.

Will, a Willowdean, vive em uma cidadezinha conservadora do Texas, reconhecida por seu concurso adolescente de Miss, que tem como uma das principais organizadoras Rosie, mãe de Will, vencedora de uma das edições. Will, assim como sua tia falecida, Lucy, é gorda e não sente ter algo em comum com a mãe e, apesar de sempre ter se sentido a vontade com o próprio peso, acaba vendo tudo mudar em um verão: a amizade com Ellen, sua melhor amiga, estremece quando elas parecem começar a caminhar em direções diferentes, ao mesmo tempo em que Bo, garoto por quem Will é apaixonada, corresponde aos seus sentimentos, fazendo com que ela deixe de se sentir confiante. Afinal, o que alguém como ele poderia querer com uma garota como ela?

A escrita de Julie Murphy é daquelas que te envolve desde as primeiras páginas. Em primeira pessoa, a autora dá voz à Will de forma a nos sentirmos cativados por ela muito rapidamente e, com leveza e agilidade, conduz os eventos fazendo da leitura bastante fluida. Mesmo que Will esteja soterrada por angústias, uma vez que se sente muito perdida em relação a sua situação atual, o livro mantém sua leveza até o fim, proporcionada, também, pelas referências à Dolly Parton e suas músicas.

Uma das coisas de que mais gostei foi como Julie Murphy trabalhou as personagens e os relacionamentos a partir dos embates entre cada personalidade. A relação mais dolorida da história é entre Will e a mãe e, da mesma maneira que é possível tomar as dores da protagonista, enxergamos também o quanto ela por vezes não enxerga Rosie e seus esforços: o típico caso de uma que não entende a outra. E Will, mesmo apaixonante, comete erros também com os demais personagens que a cercam, tão imersa em suas inseguranças. O luto por Lucy se faz presente o tempo todo, principalmente pela ausência da tia revelar as falhas na relação entre Will e Rosie. E como Lucy não vive mais, segue idealizada, incapaz de ser totalmente humana aos olhos de Will — como as demais personagens se mostram — e sem poder fornecer informações sobre coisas que a protagonista não soube e jamais saberá.

Não bastasse a autora desenvolver muito bem as angústias dessa fase da adolescência, trouxe como um dos principais temas da história a gordofobia. As observações de Will sobre seu peso e sobre como a sociedade trata pessoas gordas são acuradas e extremamente importantes no processo de reconquista da autoconfiança da protagonista. E seu empoderamento não é solitário: Will inspira outras garotas ao seu redor e constrói com elas uma importante rede de apoio, outro momento emocionante da leitura.

Finalizei Dumplin’ com aquela sensação de riso no rosto e peito aquecido. Foi uma leitura gostosa de se fazer, além de importante e inspiradora. Puddin’, o segundo livro, traz Millie como protagonista — uma das novas amizades de Will.

 

Série Dumplin’

Sobre o Filme

A adaptação de Dumplin’ pela Netflix estreou em 2018 com produção executiva de Jennifer Anniston, que também atua como Rosie, mãe de Will, interpretada por Danielle MacDonald. Logo nas primeiras cenas, é possível imergir na atmosfera do filme, muito semelhante à do livro, ao som de Dolly Parton. As cenas de Clover City mostram bem a cidade pequena, ditada por padrões de beleza que excluem pessoas como Will.

O filme como um todo segue muito bem não apenas como produção própria, mas também como adaptação. O desenvolvimento do enredo é bastante fiel, tendo poucas alterações. As principais são a ausência de personagens como Amanda e Mitch, cujas presenças são importantes no romance, e o motivo do distanciamento entre Will e Ellen, que é mais intenso no livro do que no filme. De qualquer maneira, os principais temas e acontecimentos da obra de Julie Murphy foram retratados com fidelidade, fazendo com que a adaptação seja poderosa e deliciosa de se assistir.

Algo que gostei bastante foi a presença de Lucy no filme, que aparece em rápidos flashbacks, dando a ela uma atmosfera etérea e que mimetiza bem o que há no livro: ela é alguém que está ali o tempo todo, sem de fato estar. A relação entre Will e Rosie também foi bem representada, mesmo que com suaves alterações.

No geral, os acontecimentos do filme são resumidos em relação aos do livro, principalmente para dar mais espaço ao momento do concurso — que brilha na tela. O romance, em especial, ainda que presente no filme, aparece com um pouco menos de destaque do que no livro. Contudo, mesmo que cenas e conflitos tenham sido retirados, simplificando o enredo em termos de eventos, o essencial continuou presente, em termos de mensagens transmitidas e de trajetórias desenvolvidas.

Se eu já havia adorado a leitura, adorei a experiência intensificada de poder assistir à adaptação — tão colorida, cheia de música e energia! Me emocionei ainda mais com o filme do que com o livro, o que por si só já mostra sua força. As diferenças entre um e outro são naturais e esperadas, por serem mídias diferentes, e recomendo ambos!

 

 

Assista ao Trailer!





Deixe o seu comentário

4 Respostas para "[Livros Na Telona] Dumplin’ — Julie Murphy"

eliane - 18, dezembro 2020 às (20:05)

OLA
já tinha visto esse livro mas não tinha lido nenhuma resenha , o livro aborda temas serios como o gordofobia ,já gostei disso .é importante trazer esses temas e mostrar que todos merecem respeito,que esse padrão de beleza que se impoe ,não ´é o que determina a felicidade de alguem .
quando tiver oportunidade quero ler esse livro e assistir esse filme.

Angela Cunha - 19, dezembro 2020 às (09:14)

Eu sou doida para ler esse livro já tem um tempo! Eu vi o filme três vezes rs
Esse lance da gordofobia sempre mexeu demais comigo, por conta da luta com o peso.
E o filme é de uma beleza simples e repleta de ensinamentos.
Não sabia que era mais livros. Sempre achei que fosse apenas um. Pronto, lá vai eu querer tudo rs
Beijo

Anna Mendes - 19, dezembro 2020 às (15:45)

Oi Aione!
Ahh, eu tenho muita vontade de ler o livro!
Assisti ao filme e gostei bastante. Achei ele bem leve e divertido, e emocionante também. Gostei de toda a mensagem que ele passa, principalmente sobre se aceitar como você é, independente de todas as mudanças que a sociedade quer nos impor diariamente.
Espero ler o livro em algum momento. Não sabia que se tratava de uma série.
Bjos!

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 19, dezembro 2020 às (18:09)

Aione!
Nossa! Tanto o livro como o filme, parecem sensacionais.
Claro que os filmes geralmente, mesmo sendo fieis, eles tiram algumas partes para poder fazer a adaptação.
Como gorda, quero poder ler.
cheirinhos
Rudy

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2021 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício