[Resenha] Tempo de Partir — Jodi Picoult | Minha Vida Literária
05

fev
2019

[Resenha] Tempo de Partir — Jodi Picoult

Título: Tempo de Partir
Título original: Leaving Time
Autor: Jodi Picoult
Tradução: Cecília Camargo Bartalotti
Editora: Verus
Número de Páginas: 434
Ano de Publicação: 2018
Skoob: Adicione
Compre: Amazon ♥ AmericanasSubmarino

Faz mais de uma década que Jenna Metcalf não consegue parar de pensar em sua mãe, Alice, desaparecida em circunstâncias misteriosas logo após um trágicoacidente. Jenna se recusa a acreditar que a mãe a abandonaria e continua buscando pistas on-line e nas páginas de seus antigos diários. Alice era uma cientista que pesquisava o sofrimento entre os elefantes e, nos diários, escrevia basicamente sobre esses animais que tanto amava, mas Jenna tem esperança de encontrar alguma pista sobre seu paradeiro.

Embora Tempo de Partir não tenha sido minha primeira leitura de Jodi Picoult, é a primeira vez que a resenho. Em meus contatos anteriores — O Pacto e Uma Questão de Fé —, assim como em suas demais obras que aguardam em minha estante, as premissas dos livros envolvem dilemas morais, situações delicadas em que as personagens se vêem pressionadas a fazer escolhas difíceis ou circunstâncias nas quais suas convicções são postas à prova. Por isso, a sinopse de Tempo de Partir chamou minha atenção, parecendo um livro um tanto quanto diferente dos demais da autora.

Jenna Metcalf convive com a angústia de não ter notícias de sua mãe há mais de dez anos. Alice Metcalf era uma cientista que estudava o luto em elefantes e sumiu misteriosamente após um acidente no santuário de elefantes onde morava e trabalhava. Na esperança de respostas, a adolescente entra em contato com Serenity Jones, uma médium especializada em encontrar pessoas desaparecidas, e Virgil Stranhope, o detetive que, na época, foi responsável por investigar o caso no santuário.

A estrutura narrativa de Tempo de Partir se constrói em primeira pessoa pelas perspectivas intercaladas de Jenna, Serenity e Virgil, no presente, e de Alice, no passado, de maneira que tanto a história da busca por Alice seja contada ao leitor quanto a de tudo que levou a seu desaparecimento, uma década antes.

Assim, há uma fluidez muito grande na leitura proporcionada pela alternância de vozes narrativas, que tanto desenvolvem a trama com uma riqueza enorme de detalhes, quanto pouco a pouco alimentam a voracidade do leitor em descobrir todos os segredos da história. As pistas vão sendo habilmente construídas até culminar em um clímax, digno de tirar o fôlego.

Também, a alternância narrativa proporciona diferentes atmosferas para a leitura. Apesar do livro trabalhar questões emocionais delicadas, me vi dando risada em diversas passagens narradas por Virgil e, especialmente, Serenity. A voz da personagem, inclusive, muitas vezes me deixou com a sensação de estar lendo um chick-lit, algo um tanto quanto inesperado por mim em um livro de Jodi Picoult. Outros momentos, porém, são marcados pela intensidade e sensibilidade típicas da autora, fazendo da leitura também bastante emocionante.

Não sei que ponto da leitura mais me impressionou: se foi a destreza da autora em criar uma história tão completa, surpreendente e bem desenvolvida; se foi a notória carga de pesquisa presente no livro, que faz dele ainda mais interessante por toda informação a respeito dos elefantes; se foi a sensibilidade que permeia a leitura, seja no que diz respeito à forma de como as emoções e conflitos das personagens é trabalhada, seja no olhar dado aos animais. Em relação a esse aspecto, a aproximação entre eles e as personagens me lembrou Baía da Esperança, de Jojo Moyes, que faz algo relativamente similar entre personagens e baleias.

O que posso dizer é que, mais uma vez, Jodi Picoult me impressionou e me conquistou por completo, fazendo de Tempo de Partir uma das melhores leituras que realizei nos últimos tempos. Esse é um livro sobre luto e sobre a dificuldade que temos de lidar com muitas das questões que surgem ao longo da vida. A autora já figura entre minhas favoritas, e não vejo a hora de poder me debruçar em mais de suas obras.





Deixe o seu comentário

6 Respostas para "[Resenha] Tempo de Partir — Jodi Picoult"

Anna Mendes - 05, fevereiro 2019 às (17:44)

Oi Aione!
Amei sua resenha!! <3
Nunca li nada dessa autora, mas já ouvi falar dos livros dela.
Não conhecia Tempo de Partir, mas gostei bastante da premissa.
Como você disse, é uma premissa diferente e acho que nunca li nada parecido.
Os seus comentários sobre essa obra me deixaram muito curiosa para fazer a leitura!
Parece ser uma história muito envolvente e emocionante, e que desperta muitas emoções no leitor.
Já vou colocá-lo na minha lista de desejados! Acho que é uma boa aposta para começar a ler os livros da autora e para conhecer a escrita dela! 😉
Bjos!

Responder

Angela Cunha - 06, fevereiro 2019 às (06:46)

Uma das minhas últimas leituras de Janeiro e sinceramente, o livro também foi para minha lista dos melhores que já li.
A autora soube dosar tanto sentimento em cada página, que era praticamente não sentir tudo isso, viver tudo aquilo ali descrito.
E quanto mais a história era revelada, mais eu queria saber, mais eu queria entrar nas páginas e sim, mudar o destino de todos os personagens.
Há essa dose de risadas sim, eu também me peguei fazendo isso..rs mas é um livro mais do que recomendado a quem precisa de vez em sempre, levar um beliscão da vida!!
Recomendadíssimo!!!!
Beijo

Responder

Thay Ribeiro - 09, fevereiro 2019 às (11:20)

Não conhecia a autora.
Já achei fascinante que a mãe da personagem amava tanto elefantes, animal que eu particularmente nunca dei muita atenção rs
No geral gostei da resenha! Vou pesquisar ler algo da autora, para estar entre as melhores leituras, deve valer a pena

Responder

Vitória Pantielly - 12, fevereiro 2019 às (07:39)

Oi Aione,
Ao ler as últimas linhas da resenha, acho que consegui compreender mais da história do que na sinopse em si, e o que a autora buscou mostrar com sua história. Confesso que não esperava nada demais do livro, e já tive oportunidade de ler e acabei deixando passar por não me interessar, que arrependimento…
É uma história bem intensa, e acho bacana que a autora conseguiu trazer tantos sentimentos com ele, que ela consegue intercalar, por exemplo, partes misteriosas com partes engraçadas, gostei de conhecer essa característica do livro.
Que bom que te conquistou tanto, essas são as melhores leituras…
Beijos!

Responder

suzana cariri - 20, fevereiro 2019 às (17:25)

Oi!
Nunca li nada da Jodi Picoult, mas já li varias resenhas dos seus livros e ela é uma das únicas autores que consegue agradar todos os leitores, o que e bem raro, ainda não vi ninguém falando que não gostou de algum livro dela, fiquei curiosa sobre esse livro, achei bem legal que mesmo sendo uma historia mais densa a autora consiga trazer momentos de leveza, estou bem curiosa sobre a escrita da Jodi Picoult !!

Responder

Ana I. J. Mercury - 28, fevereiro 2019 às (20:49)

Oi, Aione!
Gostei demais da sua resenha, parece ser um lindo e emocionante livro!
Ainda não li nada da Jodi Picoult, mas quero ler vários de seus livros, e agora, Tempo de partir já entrou na minha listinha!
Fiquei curiosa para saber mais sobre a mãe da Jenna, e se fala de luto, é mais importante ainda.
bjs

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por