[Resenha] Arte e Alma – Brittainy C. Cherry | Minha Vida Literária
04

dez
2018

[Resenha] Arte e Alma – Brittainy C. Cherry

Título: Arte e Alma
Título original: Art & Soul
Autor: Brittainy C. Cherry
Tradutor: Priscila Catão
Editora: Galera Record
Número de Páginas: 308
Data de Publicação: 2018
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Aria Watson era considerada invisível na escola, mesmo com todo seu talento para arte; em casa era uma boa filha e irmã. Mas tudo mudou quando ela anunciou, aos 16 anos, que estava grávida. E a notícia caiu como uma bomba. Agora ela está aterrorizada e se sentindo mais sozinha do que nunca. Levi Myers mudou-se para Wisconsin para ficar com o pai, que não via desde os 11 anos. Ele precisava se afastar um pouco da mãe e passar um ano com o pai parecia uma boa ideia, mas agora Levi não tem mais certeza. Se a mãe tem problemas, o pai é pior.
Dois adolescentes passando por momentos difíceis e que, sem querer, encontram um no outro alguém que compreenda o que estão passando. Os dois estão despedaçados por dentro, cheios de cicatrizes. Mas, nas manhãs no bosque, enquanto tentam alimentar cervos, ou esperando o ônibus para escola, eles compartilham seus medos e incertezas. Levi está dividido entre o pai e a mãe e Aria precisa decidir o futuro do bebê que está gerando. Em palavras, e até mesmo no silêncio, os dois fazem um ao outro um pouco mais fortes. Apaixonar-se não era o plano, mas às vezes é difícil resistir quando alguém parece entender tão bem sua dor e solidão.

Arte e Alma foi meu segundo contato com Brittainy C. Cherry. Assim como em Sr. Daniels, comecei a leitura sem muitas expectativas, me preparando para a possibilidade de encontrar fórmulas comuns aos romances adolescentes carregados de dramas. Mais uma vez, fui pega em meus próprios pré-conceitos e finalizei o livro arrebatada por uma leitura encantadora.

Aria é uma jovem artista brilhante, porém protegida pelo manto da invisibilidade que sua impopularidade na escola proporciona. Até que um erro faz com que ela, pela primeira vez, esteja sob os holofotes dos comentários maldosos de seus colegas. Levi sempre estudou com a mãe e viveu afastado de outras pessoas, até decidir morar com o pai por um ano em uma tentativa de recriar a relação interrompida entre eles anos atrás. Em seu primeiro dia de aula, o jovem se torna popular, mesmo não desejando essa atenção. E quando Aria e Levi se conhecem, passam a descobrir muito mais em comum do que a paixão que ambos nutrem, respectivamente, por arte abstrata e música.

Intercalando as narrativas de Aria e Levi em primeira pessoa, a escrita se constrói em uma mescla de sensibilidade, poesia e leveza. Ainda que o livro traga, sim, muitas passagens com uma forte carga dramática, essa sensação é minimizada pela escrita leve, especialmente pelas muitas passagens divertidas que compõem os diálogos da trama. Também, como Aria é muito ligada à arte plástica e, Levi, à música, esses dois aspectos aparecem inundando suas narrativas, carregadas pelas paixões e maneiras artísticas de interpretar o mundo. Outra característica que faz da escrita da autora mais poética são os diversos verbetes que aparecem ao longo da história, uma vez que Levi e Aria são obcecados por definições das palavras, além das muitas referências musicais tornarem a leitura mais interessante, especialmente se acompanhada das músicas mencionadas.

Um dos pontos que mais me agradou na leitura foi a forma de como Arte e Alma contrapõem situações similares, mas com desdobramentos opostos. Dessa maneira, Brittainy C. Cherry demonstra as inúmeras possibilidades que constituem o viver e como a interpretação de cada fato vai depender da subjetividade e vivência de cada um que o enfrentar. Também, devo dizer que fiquei encantada pelos personagens e terminei a leitura me sentindo culpada por ter desenvolvido um crush em Levi, uma vez que o personagem é mais de 10 anos mais novo do que eu. De qualquer modo, a autora busca quebrar os julgamentos que fazemos e nos força a olhar para o outro de forma mais gentil, compreendendo que não sabemos absolutamente nada sobre o que cada pessoa a nosso redor enfrenta.

Vi algumas críticas a Arte e Alma, mencionando o excesso de carga dramática na história. O que conclui após tê-lo finalizado foi que, mais uma vez, ficou demonstrado o quanto cada livro conversa de maneira diferente com quem o lê. Se alguém realmente não se conectar com a alma da leitura, tudo nela soará exagerado e forçado. No meu caso, senti que eu e a narrativa vibramos na mesma sintonia, e a obra me emocionou profundamente. Ri e chorei com as personagens e me identifiquei com a forma intensa com que sentem o mundo através da arte. Terminei o livro de Brittainy C. Cherry extasiada, misturando o riso às lágrimas e apaixonada pela leitura que tanto me encantou.





Deixe o seu comentário

4 Respostas para "[Resenha] Arte e Alma – Brittainy C. Cherry"

Angela Cunha - 05, dezembro 2018 às (07:00)

Mesmo tendo pouco contato com as letras da autora, ela tem uma legião de fãs pelo mundo e sua simpatia é ímpar! E todos afirmam nesse jeitinho só dela, de sempre trazer o homem dos sonhos em seus enredos! Homens sofridos, com passado e história, mas que se abrem ao amor.
E também mulheres com conteúdo e vontade de amarem, mesmo nos contratempos de suas vidas!
Li uma resenha que falou deste excesso de drama neste novo trabalho da autora, mas eu?? Amo um drama..rs e também concordo que cada livro é único e cada um de nós, o vai sentir de uma forma única!
Espero ter e ler a obra sim!!!!
Beijo

Responder

Anna Mendes - 05, dezembro 2018 às (10:02)

Oi Aione!
Amei a resenha!! <3
Eu já ouvi falar bastante dessa autora, mas até hoje não li nada dela.
Adorei a premissa de Arte e Alma! É uma premissa que promete uma história bem diferente de tudo o que já li!
Parece ser uma leitura muito envolvente, sensível e emocionante!
E a capa do livro é linda demais!
Fiquei muito curiosa para fazer a leitura e já vou colocá-lo na minha lista de desejados 😉
Bjos!

Responder

RUDYNALVA - 05, dezembro 2018 às (22:15)

Aione!
Deixa os preconceitos de lado mulher… que que tem demais ter um crush literário 10 anos mais novo? Amoe é amor…kkkk
Li Sr. Daniels também e fiquei encantada com a autora, pelo visto, nesse livro, ela soube inovar ainda mais, deixando o leitor encantado e já quero fazer a leitura.
cheirinhos
Rudy

Responder

Aione Simões 05 dez 2018

@RUDYNALVA, hahaha não tenho preconceito não, Rudy! O problema nesse caso é que os 10 anos fazem ser pedofilia, porque ele é menor de idade né 😂

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por