[Resenha] Um Artista do Mundo Flutuante - Kazuo Ishiguro | Minha Vida Literária
27

set
2018

[Resenha] Um Artista do Mundo Flutuante – Kazuo Ishiguro

Título: Um Artista do Mundo Flutuante
Título original: An Artist of the Floating World
Autor: Kazuo Ishiguro
Tradução: José Rubens Siqueira
Editora: Companhia das Letras
Número de Páginas: 232
Ano de Publicação: 2018
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Um romance sensível e comovente do vencedor do prêmio Nobel, ambientado no Japão após a Segunda Guerra Mundial.Masuji Ono, protagonista e narrador deste primoroso romance do vencedor do prêmio Nobel de literatura, é um homem de seu tempo. Pintor de grande renome do Japão antes e durante a Segunda Guerra Mundial, ainda jovem Masuji desafiou o pai para seguir a vocação artística e, durante seu desenvolvimento criativo, lutou contra as amarras da arte tradicional japonesa para dar lugar a uma produção propagandística a serviço de seu país. Usando a influência de que gozava perante as autoridades do governo imperial, Ono buscava ajudar pessoas de bem em situações menos favorecidas do que a sua. Ambientado nos anos imediatamente após a rendição, o romance descortina a vida de Masuji já aposentado, procurando entender as mudanças vividas pelo país e impressas na mentalidade da geração mais jovem, da qual fazem parte suas duas filhas. Ao procurar entender por que as negociações para o casamento da mais nova delas foram abruptamente interrompidas, o protagonista se vê levado a rememorar sua vida de artista e professor respeitado e a enfrentar a consequência dos próprios atos no destino de seus descendentes.Retrato comovente de um momento histórico cujos desdobramentos se veem até os dias de hoje, Um artista do mundo flutuante é também um poderoso romance sobre a velhice, a culpa e a passagem do tempo. “Há muitos bons escritores, mas poucos bons romancistas. Kazuo Ishiguro pertence a este escasso grupo. Seu segundo romance, Um artista do mundo flutuante, é do tipo que aprofunda a consciência do leitor, ensinando-o a ler mais sensivelmente.” – The New York Times Book Review.

Um Artista do Mundo Flutuante do autor Kazuo Ishiguro é um romance ambientado no Japão pós-Segunda Guerra Mundial e tem como protagonista o renomado pintor Masuji Ono, o qual é também o narrador dessa história.

A trama é conduzida pelas lembranças do personagem central que se encontra aposentado e organizando os trâmites para um possível casamento de uma das suas filhas. Desse modo, o livro mescla momentos do presente e do passado da vida do pintor e, consequentemente, traz as transformações pessoais, culturais e sociais ocorridas nesse ínterim.

Por ter como plano de fundo a cultura japonesa, torna-se um livro muito interessante para quem aprecia se familiarizar com os costumes do país, além das mudanças e choques geracionais retratados pelo autor. Outro fator atrativo é que o debate sobre o papel da arte na sociedade tem evidência nessa obra e nos impulsiona a pensar sobre o tema de modo mais amplo.

A narrativa em primeira pessoa não é de difícil compreensão; pelo contrário, por ser linear, facilita a nossa assimilação acerca dos acontecimentos e personagens. No entanto, por se tratar de memórias e termos apenas um narrador, é possível questionarmos a veracidade de alguns acontecimentos. Durante todo o livro há uma nuance de melancolia traduzida em sentimentos de culpa, arrependimentos e lamentações — certamente são questionamentos que todos se fazem numa certa altura da vida, seja em maior ou menor medida.

Por fim, foi um livro que apesar de eu ter demorado um pouco a me envolver, acabou se revelando singelo e agradável. Apesar de Um Artista do Mundo Flutuante expressar a vida de um homem e artista que fez suas escolhas e que, em sua velhice, ainda reflete sobre elas, é a escrita singela de Kazuo Ishiguro que exprime o que há de mais significativo nessa narrativa, revelando que uma grande história pode ser contada de modo simples e acessível.





Deixe o seu comentário

3 Respostas para "[Resenha] Um Artista do Mundo Flutuante – Kazuo Ishiguro"

Anna Mendes - 29, setembro 2018 às (13:52)

Oi Clívia! Adorei a resenha! <3
Nunca li nada desse autor. Confesso que não o conhecia. Passei a conhecê-lo depois de ele ter ganhado o prêmio Nobel e as suas obras terem ganhado mais "destaque" aqui no Brasil.
Acho que nunca li nada que se passa no Japão. Gostei bastante da premissa desse livro e fiquei curiosa para fazer a leitura e para conhecer a escrita do autor.
Bjos!

Responder

Luana Martins - 30, setembro 2018 às (15:01)

Olá, Clívia
Ainda não conheço a escrita do autor, mas quero muito ler seus livros.
Gosto muito de livros que se passam no cenário de guerra e pós guerra, que posso conhecer outras culturas.
Estou muito curiosa para ler esse livro, a capa é linda.
Beijos

Responder

Ana I. J. Mercury - 30, setembro 2018 às (23:50)

Aione, achei meio confusa a ideia desse livro.
Parece ser mais sobre o dia a dia e cultura japonesa, bom para quem tem curiosidade de saber mais sobre o país.
Fiquei curiosa para saber o que fala sobre os ocorridos após a Segunda Guerra Mundial.
bjsss

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por