[Resenha] Sob Águas Escuras – Robert Bryndza | Minha Vida Literária
13

mar
2018

[Resenha] Sob Águas Escuras – Robert Bryndza

Título: Sob Águas Escuras
Título original: Dark Water
Autor: Robert Bryndza
Tradutor: Marcelo Hauck
Editora: Gutenberg
Número de Páginas: 300
Data de Publicação: 07/04/2018
Skoob: Adicione
Compare e Compre: Amazon ♥ Saraiva

Quando a Detetive Erika Foster vasculha, com sua equipe, um lago artificial nos arredores de Londres em busca de uma valiosa pista de um caso de narcóticos, ela encontra muito mais do que eles estavam procurando.
Do fundo do lago são recuperados dois pacotes: um deles contém 4 milhões de libras em heroína. O outro… o esqueleto de uma criança.
Os restos mortais são de Jessica Collins, uma garota desaparecida há 26 anos e que foi a principal manchete de todos os noticiários da época.
Erika, então, precisa revirar o passado e desenterrar os traumas da família Collins para descobrir mais sobre o trabalho de Amanda Baker, a detetive original do caso – uma mulher torturada pelo seu fracasso na busca por Jessica.
Muitos mistérios envolvem esse crime, e alguém que não quer que o caso seja resolvido fará de tudo para impedir que Erika Foster descubra a verdade.

Sob Águas Escuras é o terceiro livro da série Detetive Erika Foster, de Robert Bryndza, que será publicado no Brasil pela editora Gutenberg no início de Abril. Nos EUA, a série já chegou ao sexto volume, que também será lançado no próximo mês.

Após mudar de departamento, Erika Foster está trabalhando em um caso da narcóticos, o que a levou a vasculhar o lago de uma pedreira em busca de uma pista. Além de encontrar 4 milhões de libras em heroína, os mergulhadores se deparam com outro pacote: o esqueleto de uma criança, que, após trabalho forense, revela-se pertencer a Jessica Collins, desaparecida há 26 anos. É quando Erika decide assumir a investigação; para isso, precisará se aprofundar na vida dos Collins e nas descobertas de Amanda Baker, detetive original do caso, cuja vida foi completamente impactada pela ausência de resolução.

A característica que primeiro chama a atenção nos livros de Robert Bryndza é a agilidade da leitura. A narrativa em terceira pessoa flui facilmente, permitindo ao leitor se envolver e compreender as circunstâncias sem grandes dificuldades — a escrita do autor é bastante clara. Ainda, Bryndza proporciona uma boa mescla entre delineação de personagens, abordagem do caso e descrições de contextos e cenários, o que faz com que nada no livro seja nem muito aprofundado nem carente de informações. Importante dizer que Sob Águas Escuras traz um enfoque menor em Erika Foster do que nos outros livros, já que a personagem e seus traumas já nos foram apresentados. Aqui, eles são citados mais superficialmente, fazendo com que a atenção maior da obra esteja realmente no caso investigado.

Em Sob Águas Escuras, o autor conquista o leitor sobretudo pelo caso em si ser interessante; afinal, estamos falando de uma investigação não solucionada e de circunstâncias bastante vagas. Além de ter ficado presa ao mistério até o fim, sentindo minha curiosidade aguçada a cada página, me surpreendi com a resolução por não ter sido capaz de solucioná-la. Outro ponto que muito me agradou foi a maneira de como Robert Bryndza tocou em questões importantes — como as desigualdades entre etnias e gêneros (tema presente desde o primeiro livro, se considerarmos que a protagonista é mulher e policial, função predominantemente exercida por homens), além de homofobia e outros — de maneira muito natural. Nenhum dos assuntos surge de forma a parecer fora de contexto ou destacados dos demais; ao contrário, estão simplesmente presentes, assim como na vida fora das páginas, e a função do autor é só a de chamar a atenção para eles. Também, nenhum deles rouba a posição de destaque no livro e passa a ser central — o que não os impede de estarem presentes.

Minha única crítica a Sob Águas Escuras é a mesma feita em A Garota no Gelo e em Uma Sombra na Escuridão: ainda sinto algumas passagens, em especial os diálogos, menos amadurecidos, especialmente em momentos que demonstram uma maior complexidade das personagens. É como se essa complexidade não fosse de fato alcançada e transmitida para o leitor, embora seja descrita. Ou seja, somos capazes de entender algo como complexo, mas não realmente o sentimos. Vale lembrar que essa é mais uma observação de algo que tem potencial para ser aperfeiçoado do que a constatação de um problema. Novamente, adorei a leitura e sinto que as obras do autor podem atingir patamares ainda mais altos dentro do gênero com seu amadurecimento como escritor.

Assim como os demais livros, Sob Águas Escuras pode ser lido independentemente dos demais. Como cada volume foca em um caso e os contextos gerais das personagens nos são dados, é possível compreender a leitura mesmo se feita isoladamente. De qualquer maneira, aos que pretendem acompanhar a série, o mais indicado é lê-la em ordem.

 

Série Detetive Erika Foster





Deixe o seu comentário

11 Respostas para "[Resenha] Sob Águas Escuras – Robert Bryndza"

Daiane Araújo - 13, Março 2018 às (20:07)

Oi, Aione.

Acho que talvez esse desaparecimento da garota tenha alguma coisa a ver com a própria família da mesma, que carregam esse segredo a sete chaves, e que por alguma razão (não justificável), a queriam ver morta, ou o plano inicialmente, no meio do caminho, não deu certo…

P.S.: A escrita do Robert é sensacional, me apeguei muito à Erika e fiquei frustrada, em alguns momentos, (quando li os livros anteriores) por ela não ter o devido reconhecimento merecido. E, é claro, não vejo a hora de ler esse hora! ?

Responder

Pamela Liu - 14, Março 2018 às (15:48)

Oi AIone.
Eu não sabia que A garota no gelo fazia parte de uma série. Já queria ler o livro.
Fiquei animada para ler Sob águas escuras. parece um mistério bem interessante e adoro quando não conseguimos solucionar o mistérios. Acho que mostra que o autor construiu muito bem a trama e conseguiu nos despistar sobre quem é o assassino.
Adorei saber que a detetive é uma personagem feminina e que o autor trata de assuntos importantes de forma bem natural, sem parecer forçado.
Fiquei bem curiosa para conhecer essa série.
Beijos

Responder

Rayme - 15, Março 2018 às (12:57)

Não conhecia a série ainda. Adoro livros neste estilo, e esse parece ser bom
A garota no gelo já tinha me chamado a atenção na livraria, mas como não conhecia o autor, acabei não me arriscando
Gosto de séries assim, que podem ser lidas sem precisar, necessariamente, seguir a ordem haha
Com toda certeza vou coloca-los na minha lista de desejados

Responder

Marcela - 16, Março 2018 às (03:13)

Já quero ler esse livro Aione <3

Responder

Adriana Holanda Tavares - 16, Março 2018 às (15:15)

Oi Aione, eu só conhecia o primeiro livro e apenas pela capa, já que não cheguei a ler. Achei super interessante saber que é uma séerie e que já tem seis livros menos que foram lançados no Brasil. Fico agoniada com esse tipo de série porque fico com medo de a editora nunca lançar o restante e fico com receio de começar, tenho problemas em ler séries que não terminam!

Responder

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 17, Março 2018 às (23:26)

Aione!
Infelizmente não li ainda nenhum dos livros da série, nem do autor.
Mas gostei muito de todas suas observações sobre o mistério na resolução do caso que ninguém consegue desvendar, isso faz com que o leitor, sinta-se preso e conectado com a leitura.
E entendo bem as ressalvas que fez em relação a ser algo complexo, mas não chegar a sentir essa complexidade.
Bom domingo!
“Quando choramos abraçados e caminhamos lado a lado. Por favor amor me acredite, não há palavras para explicar o que eu sinto…” (Renato Russo)
cheirinhos
Rudy
TOP COMENTARISTA MARÇO: 3 livros + vários kits, 5 ganhadores, participem!
BLOG ALEGRIA DE VIVER E AMAR O QUE É BOM!

Responder

Micheli Pegoraro - 20, Março 2018 às (10:07)

Oi Aione,
Quero muito conhecer a narrativa do autor Robert Bryndza, sou fã de suspense e adoro uma trama policial bem elaborada. Achei interessante saber que a narrativa é ágil e de fácil leitura, onde a construção dos personagens e o acompanhamento do caso em si não é tão aprofundado, mas que não falta informações também.
Estou curiosa para desvendar esse mistério juntamente com a detetive, mesmo já prevendo que não vou ser capaz de solucionar haha.
Prefiro ler a série em ordem, então vou começar por A Garota no Gelo.
Beijos

Responder

suzana cariri - 30, Março 2018 às (15:11)

Oi!
Já tinha visto os outros livros dessa serie, como é uma serie muito grande fico sem querer iniciar porque estou com muita coisa atrasada para ler, mas lendo a resenha fiquei muito curiosa com a historia, parece que a escrita da autora é bem desenvolvido e ela consegue tratar de vários temas de forma natural, fiquei bastante curiosa sobre esse caso !!

Responder

Ana Carolina Venceslau Dos Santos - 31, Março 2018 às (11:17)

Eu já vi os dois primeiros livros dessa série e foram ótimas experiências que eu tive com eles então espero que este último seja também tão maravilhoso quanto os outros e confesso que a sinopse dos três Esse foi a que mais me chamou atenção

Responder

Ana I. J. Mercury - 31, Março 2018 às (14:39)

Não gosto muito de livros de suspense/investigativo, mas esse parece muito bom mesmo!
Ainda mais sobre esse caso tão antigo e vago.
fiquei bem curiosa.
Eu só conhecia a série de nome, mas vou procurar mais sobre os livros agora!
bjsss

Responder

Dandara Machado - 08, Abril 2018 às (01:19)

Gostei muito do livro, melhor do que o anterior da série, em minha opinião. A partir de um certo momento da leitura, achei impossível de largar… Agora, estou ansiosa pelo próximo caso de Erika Foster!

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por