[Resenha] Pimenta e mel — Bolu Babalola - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
11

maio
2023

[Resenha] Pimenta e mel — Bolu Babalola

Kiki Banjo sabe tudo sobre a vida do campus da Faculdade Paço do Rio Branco. Ela sabe quando certo dormitório tem mais chances de estar vazio ― caso você queira se esgueirar para um encontro secreto ―, quando há uma mudança de hierarquia em determinada panelinha e, acima de tudo, sabe quando um cara não está tão a fim de você e o que fazer para evitar cair no jogo dele. Ela usa essa sabedoria em seu programa de rádio, em que ajuda as universitárias a desenvolver, entre outras coisas, conhecimentos em boylixologia.
Mas então surge um intruso em seu domínio: Malakai Korede. E Malakai não é um adversário comum. Ele é o Boy Lixo Supremo, o Pegador dos Pegadores, o Pilantra do Paço, que está conseguindo causar um estrago na comunidade feminina da faculdade e sair ileso. Kiki não pode permitir que ele altere o delicado equilíbrio que ela lutou tanto para construir, e não tem medo de confrontá-lo.
Mas, depois de um projeto da faculdade que pode ser decisivo para o futuro dos dois, um ex grudento e um beijo inesperado ― mas muito, muito bom ―, ela e Malakai acabam presos em um esquema para salvar a reputação de ambos. E Kiki se vê perigosamente perto de se apaixonar pelo cafajeste sobre o qual alertou a todas.

 

Ficha Técnica: Pimenta e mel

Título: Pimenta e mel
Título original: Honey & Spice
Autor: Bolu Babalola
Tradução: Bruna Barros
Editora: Harlequin
Número de Páginas: 368
Ano de Publicação: 2023
Skoob: Adicione
Compre: Amazon

 

Resenha escrita

Pimenta e mel é o romance de estreia de Bolu Babalola, que também publicou pela Harlequin no Brasil a antologia de contos Amor em cores. Traduzido por Bruna Barros, a comédia romântica entrega uma história divertida e com personagens marcantes, ambientada no mundo universitário.

Kiki Banjo comanda um programa de rádio na universidade onde estuda para dar conselhos amorosos às outras estudantes — e alertá-las sobre os boys lixo com quem convivem. Porém, um importante projeto de estudo vai aproximá-la de Malakai, o cara sobre quem Kiki havia falado há pouco. É quando eles iniciam um romance falso, mas benéfico para ambos, e descobrem sabores muito mais intensos do que até então haviam provado.

O que primeiro chamou minha atenção na escrita da nigeriana-britânica Bolu Babalola foi a combinação do tom coloquial da narrativa com outras passagens bastante poéticas. Pimenta e mel é cativante e envolvente desde a primeira página, seja pela proximidade com Kiki, quem narra a história em primeira pessoa, seja pelos ótimos diálogos. Por toda a leitura, permanece a impressão de estarmos conversando com uma amiga, e a autora sabe os momentos certos de mudar o tom para passagens mais sensíveis e, como mencionado, poéticas.

Outro fator de destaque é a construção das personagens. Kiki e Malakai são muito bem desenvolvidos, de maneira que é fácil entender os dois desde o começo da leitura, quando as informações sobre eles ainda estão sendo dadas. E, no decorrer das páginas, as personagens vão sendo ainda mais delineadas, com suas camadas sendo aprofundadas. Tanto Kiki quanto Malakai são imperfeitos, errando e acertando ao longo da jornada; porém, Bolu Babalola entrega personagens que cativam e que geram empatia. Adorei compreender as bagagens que carregam e como são afetadas por esses traumas. Mais do que tudo, Kiki é uma personagem extremamente empoderada, mas que carrega fragilidades — o que faz dela uma protagonista tão marcante. E Malakai cumpre a função de ser um mocinho apaixonante, especialmente por também trazer consigo suas próprias questões.

Mas, acima de tudo, Pimenta e mel é repleto de química. O entrosamento entre Kiki e Malakai é ótimo, seja pelos diálogos que trocam, seja pelas passagens repletas de romance e sensualidade. Também, é muito positivo ver um romance com protagonismo negro, e que entrega tantas referências da cultura R&B e iorubá, uma vez que Kiki e Malakais são nigerianos-britânicos, como a autora. Embora o foco da história não esteja na discussão de questões raciais, elas permeiam a leitura de maneira muito positiva e natural.

De modo geral, Pimenta e mel é um romance new adult divertido, sobretudo pelo tom coloquial da narrativa, que promove uma leitura gostosa, temas pertinentes e personagens muito bem desenvolvidas, sem perder o romantismo e a química explosiva que existe entre elas, intensificados pelos tons mais poéticos que a escrita assume nessas passagens. Fiquei ainda mais curiosa para ler a antologia Amor em cores e conhecer mais da autora.





Deixe o seu comentário

Minha Vida Literária

Caixa Postal 20

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2024 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício