[Resenha] Especial - Ryan O'Connell | Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
04

fev
2020

[Resenha] Especial – Ryan O’Connell

Título: Especial – Ryan O’Connell
Título original: I’m special (and other lies we tell ourselves)
Autor: Ryan O’Connell
Tradução: Adriana Fidalgo
Editora: Record
Número de Páginas: 223
Ano de Publicação: 2019
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

O livro que deu origem à série Special, da Netflix.

Como se os desafios de ser um jovem gay com paralisia cerebral não fossem o bastante, Ryan O’Connell viveu todos os clichês de um Millennial. Ele passou a segunda década de sua vida estagiando para divas delirantes, engolindo todos os remédios que conseguia encontrar pelo caminho e tentando achar o amor verdadeiro — coff coff — no Grindr. Mas depois de tanta tentativa e erro, Ryan pode dizer, com propriedade, que mancou elegantemente todo o caminho para a vida adulta. Especial, seu (hilário) relato autobiográfico, é uma reflexão sobre o mundo cruel que espera jovens de vinte e poucos anos superprotegidos pelos pais e uma lição de como encontrar a si mesmo em meio às disputas por likes e seguidores.

Especial é o livro de estreia de Ryan O’Connell, um escritor e profissional emotivo que trabalhou como redator da série Awkward da MTV. Uma obra para fazer você entender que não deve ser a pessoa que o mundo deseja, mas aquela que descobriu em si quem de fato é.

A autobiografia do autor desmembra suas três décadas de vida, contando como é ser um homem homossexual e com Paralisia Cerebral, além de trazer de forma bem-humorada seus medos, descobertas, conquistas e muitas críticas, seja para si mesmo ou para os leitores que, assim como ele, são Millenials: jovens direcionados a acreditar que podem ser o que quiserem, vivendo a vida como alguém especial. Ryan trabalha essa ideia com passagens cheias de humor, sarcasmo e pitadas de advertência, de forma a nos levar a analisar nós mesmos diante da velocidade ao qual somos ligados à tecnologia e a suas ações transformadoras.

Passaremos pelos estágios mais loucos, com chefes excêntricos e que fazem a gente realmente pensar se o valor que recebemos de salário é suficiente para suportá-los; paixonites e descobertas sexuais, as expectativas que elas impõem na visão de ideal. É um livro escrito para se manter em uma conversa constante com o leitor, apresentando um jovem que, apesar das limitações — as dificuldades na coordenação motora —, se faz ativo, com energia para discutir as críticas à própria geração, para mexer em aplicativos de namoro, para beber (e muito), para demonstrar como é difícil quebrar a cara e perceber amizades tóxicas. São páginas trazendo temas de vivência e convivência que se enquadra bem em muitos lares.

Nas pouco mais de 200 páginas, vemos a sua sinceridade — uma característica predominante nele — ao abordar de forma desbocada pontos da própria sexualidade. É interessante ressaltar que, se analisarmos como ele aborda a vida sexual, conseguimos concluir como a sociedade ainda se mantêm engessada. Não é uma literatura que todos gostariam de ler, mas é uma que se faz necessária para que jovens descubram e comentem sobre situações, desejos, amores, relações sexuais, que sexualidade é falar sobre si mesmo.

Em outra abordagem, revivendo a proteção quase doentia dentro do seu meio familiar, Ryan comenta sobre o fato dele ter escapado da morte, seu nascimento e cuidados posteriores, a vigilância intensa da mãe batendo de frente com a ideia oposta do pai sobre a criação e possibilidades do que ele pode ou não fazer. É uma crítica social complexa, vivendo em um garoto inseguro, sedento por aventuras, que tem com base em suas vivências a visão generalizada sobre todos os jovens nascidos após o início da década de 1980.

Pessoalmente, eu não gostei do livro. Sei que a ideia no cerne é interessante, visto que se manifesta através das experiências de Ryan, de sua homossexualidade, da Paralisia Cerebral. É uma forma de criticar o seu passado, de confiar mais em si mesmo, de alguém mais velho analisando o que foi e pelo que passou. Nós fazemos muito isso, somos nossos próprios críticos. O que me incomoda, sendo uma “Millennial”, foi a falta de identificação conforme ele aponta coisas que, na visão dele, é padrão para alguém nascido da época. Acho que isso o torna um dono de uma verdade que não existe.

Resumindo, acredito que Especial possui temas relevantes, interessantes e que devem ser discutidos com mais frequência no âmbito social, apesar de eu não ter me identificado no que tange às supostas características da minha  geração. Pelos pontos positivos, não descarto a experiência de leitura, foi algo que agregou ao seu modo, mas que não vai estar marcado na minha memória.





Deixe o seu comentário

11 Respostas para "[Resenha] Especial – Ryan O’Connell"

ALINE CRISTINE PEREIRA ZUIM - 04, fevereiro 2020 às (21:53)

Achei a capa linda, mas apesar de tudo, achei o tema muito triste, principalmente quando se trata de algo que o autor viveu. Conheço amigas que amam drama e vão amar…eu já prefiro algo mais “ficcional” rsrs. Bjus,excelente resenha.

Angela Cunha - 05, fevereiro 2020 às (07:41)

Então..eu vi a série na tv num fôlego só! Amei cada episódio e a história de Ryan.
Mas o livro pelo que andei lendo até o momento,não agradou muito não. Não é a primeira resenha não tão positiva que leio da obra.
Mas? Eu sou teimosa e mesmo assim, se puder, ainda quero dar uma oportunidade a obra!!!
Beijo

Scheila - 05, fevereiro 2020 às (07:46)

Oii, Fran!

Antes de concluir a leitura da sua resenha, já vim pensando que eu não me identifiquei muito com o livro.. não é uma história que me chamou atenção.. e ao chegar ao fim da resenha, descobri que para você foi algo parecido.
Mas realmente concordo que algo de positivo deve ter lhe agregado na vida, querendo ou não, é uma história com temas muito importantes!
Beijinhos!

Anna Mendes - 05, fevereiro 2020 às (08:56)

Oi Fran!
Adorei a resenha!
Eu ouvi falar bastante desse livro no ano passado, acho que principalmente por causa da série, a qual não assisti.
Pelos seus comentários, essa autobiografia parece tocar em pontos muito relevantes de serem debatidos na sociedade, principalmente entre os jovens. O ponto negativo que você comentou me deixou um pouco mais receosa em fazer a leitura, até porque não curto quando um autor assume o que acredita como verdade absoluta.
Não é um livro que me deixou morrendo de vontade de fazer a leitura, mas talvez, se surgir a oportunidade algum dia, eu acabe fazendo a leitura.
Bjos!

Elizete Silva - 05, fevereiro 2020 às (13:28)

Olá! Fiquei de olho nesse livro, depois de uma indicação, pois o enredo me pareceu bem diferente, não teve como não simpatizar de cara com esse protagonista tão singular, e fiquei ainda mais curiosa agora depois da resenha, sobre a parte que te incomodou, afinal também faço parte dessa geração (risos). Aliás já fui até atrás da série e pretendo assistir em breve, assim que conseguir realizar a leitura do livro.

Verônica Vieira - 06, fevereiro 2020 às (08:49)

Ja vi varias indicações desse livro, mas apesar do tema ser muito interessante, eu não sinto vontade de ler nem assistir a série… Assim que vi a primeira resenha fiquei com muita vontade de ler, mas depois fui vendo outra e a vontade sumiu…

Camila Nogueira - 06, fevereiro 2020 às (10:34)

Quando lançam uma série nova eu sempre busco ver se ela não é proveniente de um livro, geralmente os livros são mais enriquecidos do que as séries e no fim eu me torno uma crítica da série. O enredo me pareceu bem diferente, não teve como não simpatizar de cara com esse protagonista tão singular. Porém antes de ler o livro eu tentei assistir a série e não me agradou, aí entre os livros que eu pretendia ler esse foi para o final da fila, ainda não sei se leio, um dia quem sabe?

Rayane - 06, fevereiro 2020 às (17:43)

A obra sem sombra de dúvidas me chama bastante a atenção pelos temas que discorre, gosto muito dessas críticas que o autor faz ao longo do livro, causam uma boa reflexão, principalmente para os jovens, que provavelmente se identificam rapidamente com a história. Com certeza é um livro muito especial, estou ansiosa para ler!!

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 06, fevereiro 2020 às (21:43)

AIONE!
Não me importo com termos sem filtros usados em livros, desde que não sejam excessivos e sejam bem aplicados…
Acho interessante o autor se expor e contar sobre suas dificuldades, mas sinto que ficou um tanto pejorativo de acordo com sua resenha.
cheirinhos
Rudy

Ana Carolina Venceslau Dos Santos - 26, fevereiro 2020 às (14:40)

A a capa é linda e eu já havia assistido essa série mas não me agradei muito do desenrolar da história. Amei os fatos de retratar em um personagem com paralisia cerebral e que é gay mas em vários momentos o protagonista me tirava do sério

Ana I. J. Mercury - 29, fevereiro 2020 às (14:20)

Oi, Fran
Desde o lançamento estou louca para lê-lo!
A história do Ryan parece ser tão fascinante!
Cheia de superação, aprendizados, e muitaaaas boas reflexões!
Falar sobre relacionamentos verdadeiros, sem superficialidades e gente tóxica é algo que sempre precisamos falar e ler, o tempo todo mesmo!
Assim que der, lerei!
bjs

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2020 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício