[Resenha] Para Sempre Interrompido — Taylor Jenkins Reid - Minha Vida Literária
Minha Vida Literária
14

jan
2022

[Resenha] Para Sempre Interrompido — Taylor Jenkins Reid

Elsie e Ben pareciam ter todo o tempo do mundo: vinte e poucos anos, recém-casados, apaixonados. Entre eles as coisas sempre aconteceram depressa, como uma explosão irrefreável de energia. Elsie só não tinha como saber que o brilho de seu romance seria tão fugaz.
Pouco mais de uma semana depois de se casar, Elsie perde Ben em um acidente e sente o futuro se desfazer diante de seus olhos. Só o que resta é um eterno agora, carregado de questões não resolvidas do passado.
Para atravessar sua dor, Elsie precisará inevitavelmente olhar para trás. Não só para entender a dimensão de sua perda, mas também para conhecer a nova família que nunca chegou a ter ― e para descobrir, enfim, quem ela se tornou depois de ter seu final feliz interrompido.

 

Ficha Técnica

Título: Para Sempre Interrompido
Título original: Forever Interrupted
Autor: Taylor Jenkins Reid
Tradução: Alexandre Boide
Editora: Paralela
Número de Páginas: 304
Ano de Publicação: 2021
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSubmarino

 

Resenha: Para Sempre Interrompido

Para Sempre Interrompido é o primeiro romance de Taylor Jenkins Reid, embora seja um dos mais recentes lançamentos da autora pela editora Paralela. Com tradução de Alexandre Boide, que também transpôs para o português os demais trabalhos da autora, foi originalmente publicado em 2013.

Elsie e Ben se conheceram, se apaixonaram e se casaram em um intervalo de seis meses. Então, após uma semana de casamento, Elsie fica viúva, sendo obrigada a lidar com o luto e as transformações meteóricas a que foi submetida.

Para Sempre Interrompido alterna entre os capítulos as narrativas de passado e presente, reconstruindo a relação de Elsie e Ben do começo ao fim abrupto conforme narra as dificuldades enfrentadas por Elsie após a morte do marido. Assim, Taylor Jenkins Reid intensifica as emoções da protagonista, já que o desenvolvimento do romance é o tempo todo interrompido pelo lembrete de como ele foi finalizado. Também, cria certa curiosidade e expectativa, uma vez que há aspectos sobre o casamento não completamente elucidados — e que só são revelados mais ao final da trama.

Por ser um livro cuja premissa é trágica, é de se esperar o fator emocional proporcionado pela leitura. Contudo, Para Sempre Interrompido não me arrebatou — sequer me emocionou. Sendo esse o romance de estreia de Taylor Jenkins Reid, imaginava que poderia ser um trabalho menos amadurecido, e não me enganei. Os sentimentos relatados são todos bastante sinceros, complexos e delicados, seja por envolverem o luto, seja pela complicada relação de Elsie com os pais ou, até mesmo, por toda confusa intensidade emocional característica do início de relacionamentos, que é demonstrada no processo do casal se apaixonar. Porém, sinto que os personagens e suas emoções exigiriam maiores nuances para que parecessem pessoais reais, e não meras figuras ficcionais. Assim, tive dificuldade em me conectar especialmente com a protagonista, por mais que eu me solidarizasse com sua condição. Foi como se eu visse a evolução da história como uma observadora externa, mas sem a sensação de ligação emocional que acontece quando de fato imergimos em uma leitura.

Também, outra transformação de Taylor Jenkins Reid diz respeito a visões de mundo. Há certos comentários e atitudes de personagens que não condizem com o que a própria autora trabalha em obras futuras, indicando uma mudança pessoal nesse sentido. Quando me deparava com alguma dessas passagens, sentia como se estivesse lendo algo de outra pessoa. Não chega a ser um problema no livro, foi apenas um estranhamento de quem está acostumada a ver a autora defender determinados pontos de vista.

Por tudo isso, Para Sempre Interrompido foi o único livro de Taylor Jenkins Reid que não gostei — e talvez minha experiência tivesse sido outra caso fosse meu primeiro contato com sua escrita, já que eu não teria como comparar a escritora iniciante com quem ela se transformou. Ao mesmo tempo, achei válida a experiência, tanto por ser fã da autora e desejosa de acompanhar toda sua obra, quanto por poder sentir sua evolução e amadurecimento profissional.





Deixe o seu comentário

Uma resposta para "[Resenha] Para Sempre Interrompido — Taylor Jenkins Reid"

Caroline Mancini - 17, janeiro 2022 às (18:15)

Eu ainda não li nada dessa autora. Vou começar com Malibu Renasce porque é o tema do Clube do Livro da Marina Smith. Confesso que não cai no hype dos 7 maridos. Espero de coração que não seja uma decepção como Coleen Hoover, que eu vejo muita gente achando incrível, mas li um livro dela que achei absolutamente machista (9 de novembro).

Minha Vida Literária

Caixa Postal 452

Mogi das Cruzes/SP

CEP: 08710-971

Siga nas redes sociais

© 2022 • Minha Vida Literária • Todos os direitos reservados • fotos do topo por Ingrid Benício