[Vídeo Resenha] Tarde Demais – Colleen Hoover | Minha Vida Literária
17

set
2018

[Vídeo Resenha] Tarde Demais – Colleen Hoover

Título: Tarde Demais
Título original: Too Late
Autor: Colleen Hoover
Tradutor: Alda Lima
Editora: Record
Número de Páginas: 384
Data de Publicação: 2018
Skoob: Adicione
Compare e Compre: AmazonAmericanasSaraivaSubmarino

Para proteger o irmão, Sloan foi ao inferno e fez dele seu lar. Ela está presa em um relacionamento com Asa Jackson, um perigoso traficante, e quanto mais os dias passam, mais parece impossível enxergar uma saída. Imersa em uma casa incontrolável que mais parece um quartel general, rodeada por homens que ela teme e sem um minuto de silêncio, também parece impossível encontrar qualquer motivo para se sentir bem. Até Carter surgir em sua vida.
Sloan é a melhor coisa que já aconteceu a Asa. E se você perguntasse ao rapaz, ele diria que também é a melhor coisa que já aconteceu a Sloan. Apesar de a garota não aprovar seu arriscado estilo de vida, Asa faz o que é preciso para permanecer sempre um passo a frente em seu negócio e proteger sua garota. Até Carter surgir em sua vida.
A chegada de Carter pode afetar o frágil equilíbrio que Sloan lutou tanto para conquistar, mas também pode significar sua única saída de uma situação que está ficando insustentável.
Colleen Hoover não tem medo de escrever sobre assuntos delicados e Tarde demais prova isso. Perpassando as formas mais cotidianas de machismo até as formas mais intensas e cruéis de abuso, a autora mergulha na espiral atordoante que é um relacionamento abusivo.

RESENHA EM VÍDEO


 

RESENHA ESCRITA

Tarde Demais é o mais recente lançamento de Colleen Hoover pela editora Record. Os avisos de que esse é um livro diferente dos demais da autora são vários, a começar por seu grupo editorial tê-lo publicado por um selo adulto em vez do habitual Galera Record, destinado a um público mais jovem. Ainda, há avisos na contracapa que indicam o conteúdo presente na trama, bem como a nota da autora na abertura da obra esclarecer esse e outros fatos a respeito de sua criação.

Aqui temos a história de Sloan, jovem que vive um relacionamento abusivo com Asa, traficante, já que somente assim ela pode manter a salvo seu irmão, que precisa de cuidados especiais. Então a chegada de Carter muda toda a dinâmica de suas vidas: Sloan se sente instantaneamente atraída pelo homem que ela vem a descobrir ser mais um dos comparsas de Asa, sem fazer ideia de que Carter, na verdade, é um policial infiltrado em uma missão para prender o traficante.

Não há como negar que a escrita de Colleen Hoover é viciante. Tarde Demais, como seus demais livros, prende desde os primeiros parágrafos e faz do leitor refém de suas páginas em poucos instantes. E, ao alternar os capítulos pelas perspectivas de Sloan, Carter e Asa, faz de tudo ainda mais fluido e ágil.

Contudo, como avisado desde o início, o conteúdo de Tarde Demais é pesado. Somos expostos a cenas e mais cenas de violência, a situações de abuso que nos deixam tensos a cada instante — e justamente por isso, não consegui ler o livro de uma só vez, como costumo fazer com as obras de Hoover. A partir de determinado momento, li tudo até acabar, mas me senti extremamente cansada por isso. Ainda, grande parte do conteúdo da obra é composto por cenas de sexo abusivo. Além de isso ser exaustivo pelo desagrado que as cenas proporcionam, foi também pela repetição na leitura, que poderia ter abordado também outras situações além dessa.

Em sua nota, Colleen Hoover anuncia que não escreveu essa história com a intenção de publicá-la. Com isso, escrevia os capítulos sem muita pretensão e, pouco a pouco, começou a compartilhá-los em um grupo com seus leitores. Ao finalizar o livro, a autora o disponibilizou gratuitamente e acabou por começar a adicionar cenas, por não conseguir parar de escrever. Assim, a história “acaba” lá pela página 250. E então recebe um epílogo bastante extenso. E um prólogo após o epílogo. E então, outro epílogo, que de fato encerra a narrativa. Ou seja, praticamente um terço do livro surgiu após a finalização da história “original”, algo normal considerando-se o processo de criação de um autor. E por preferência da autora, ela não editou Tarde Demais para que ele seguisse a coesão e o formato esperados em um romance finalizado, mas optou por manter tudo — inclusive os títulos de cada capítulo — na ordem de como surgiram.

O interessante disso é que Tarde Demais certamente foge do convencional e nos dá a chance de chegar mais próximos do processo de criação da autora. Também, nos permite ter a experiência dos primeiros leitores, que foram recebendo os capítulos aos poucos. Para quem leu dessa maneira, certamente receber os extras foi uma experiência e tanto, uma vez que cada palavra a mais é um presente para quem é fã e está ávido para consumir mais de uma história com a qual se está envolvido. Entretanto, para quem teve a experiência de ler a obra já finalizada e olha para ela como um todo, não posso dizer que achei a ideia muito positiva.

Como mencionei, Tarde Demais é bastante pesado. Com isso, enxergar os extras como “extras” e não como partes do todo me deu a sensação de ter o cansaço sendo prolongado, como se a agonia também fosse infinita. Caso tudo estivesse editado para seguir a ordem normal dos capítulos e os “epílogos” não fossem denominados dessa maneira, talvez a sensação fosse outra, porque automaticamente meu cérebro consideraria aquilo como parte importante da trama — como eles de fato são. O Prólogo, inclusive, que é colocado entre os dois epílogos, não foi lido por mim. Confesso que pulei, simplesmente porque eu não aguentava mais o peso que a leitura estava me causando, além de a cena ser um detalhamento de algo contado anteriormente. Se o livro se abrisse com esse capítulo, como seria esperado após a edição da obra, a impressão e o impacto certamente seriam outros. Mas embora a intenção da autora tenha sido interessante, para mim, a ideia não funcionou em termos práticos de leitura.

Também, o que me incomodou na maneira de como o relacionamento abusivo foi trabalhado no enredo foi a ideia de que era necessário Sloan ter um motivo palpável para permanecer ao lado de Asa, que, caso contrário, estar ao lado dele seria sinal de fraqueza de sua parte. Embora isso torne a aceitação do leitor na história mais fácil, acredito que seja muito pouco empático quando se pensa em situações reais de violência doméstica. Sloan tem consciência do quão tóxica é sua relação e só permanece por questões de sobrevivência. Em uma situação de abuso, nem sempre é assim. E não é sinal algum de fraqueza o fato de, aos olhos de outras pessoas, a pessoa não ter motivo para permanecer em tal situação. Abuso psicológico é algo bem mais complexo do que ser ou não racional “permanecer” em uma circunstância como essa.

Sobre o enredo, devo admitir que Coleen Hoover foi muito feliz em como criar os eventos. Há reviravoltas atrás de reviravoltas e o livro surpreende por isso. Gostei, também, de como ela desenvolveu especialmente a mente de Asa, sua forma de pensar e planejar. Não apenas pesado, Tarde Demais é também bastante criativo, apesar das demasiadas cenas de teor sexual — abusivo ou não — comporem boa parte dos capítulos.

De maneira geral, Tarde Demais foi um livro que, sim, me envolveu, prendeu e surpreendeu. Contudo, não posso dizer que gostei da experiência. O livro me causou mal estar e sua estrutura não me agradou — eu talvez tivesse tido uma impressão diferente se a obra tivesse sido editada e pensada para ter uma ordenação convencional. De qualquer maneira, a leitura continuaria sendo pesada e, por isso, recomendo que você a inicie a ciente do que irá encontrar nela.





Deixe o seu comentário

4 Respostas para "[Vídeo Resenha] Tarde Demais – Colleen Hoover"

Anna Mendes - 19, setembro 2018 às (10:57)

Oi Aione! Amei a resenha! <3
Até agora, eu só li um livro da autora, que foi Novembro, 9. Confesso que, apesar de ter gostado da leitura, eu esperava mais da escrita da autora, por tudo o que eu ouvia falar. Por causa dessa decepção, acabo tendo um pouco de receio de dar uma chance para outro livro da autora e me decepcionar de novo.
Achei a premissa de Tarde Demais bem intensa! Deve ser uma leitura bem dolorosa e angustiante, por causa dos temas que aborda!
Gostei bastante da capa do livro!
Não sei quando darei uma nova chance para os livros da autora, mas talvez quando eu der, eu aposte na leitura desse livro.
Bjos!

Responder

Angelica - 28, setembro 2018 às (08:28)

Eu li este livro e até que gostei. O primeiro livro que li da autora foi Without Merit – que também achei bastante pesado, mas mais leve que Tarde Demais. Embora o livro seja pesado, não consegui largar-lo por muito tempo, pois queria saber muito como a história terminaria. Asa me irritou um monte e fiquei incomodada com as ações dele…. Na verdade queria poder entrar na história e detê-lo… Ansiava muito pelo momento em que Carter faria isso!

Beijos!

Responder

Luana Martins - 30, setembro 2018 às (13:54)

Olá, Aione
Li apenas o livro É Assim Que Acaba.
Vejo muitos comentários negativos a respeito desse livro, mas mesmo assim quero ler.
Espero poder ler e gostar um pouco do livro.
Beijos

Responder

Ana I. J. Mercury - 30, setembro 2018 às (23:37)

Eu já li 3 livros da Colleen e confesso que não gostou de nenhum.
Pela sua resenha e outras que li, achei um livro grosseiro.
Com situações extremas demais, sem ter realmente uma boa reflexão.
bjs

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por