[Vídeo Resenha] Rainhas Geek — Jen Wilde | Minha Vida Literária
15

jun
2018

[Vídeo Resenha] Rainhas Geek — Jen Wilde

Título: Rainhas Geek
Título original: Queens of Geek
Autor: Jen Wilde
Tradutor: Débora Isidoro
Editora: Minotauro
Número de Páginas: 304
Data de Publicação: 2018
Skoob: Adicione
Compare e Compre em Pré-Venda: AmazonSaraiva

Charlie é youtuber, atriz, bissexual… E uma das atrações principais da Supa Con, a convenção de cultura pop mais famosa do mundo. Essa é sua chance de mostrar aos fãs que superou seu término público com o ex-namorado – e co-estrela de seu último lme – Reese Ryan. O reencontro de Charlie e Reese deixa o clima pesado, mas quando a it girl Alyssa Huntington aparece como convidada surpresa no evento, o que Charlie pensava ser apenas um crush de internet se mostra muito real.
Melhor amiga de Charlie, Taylor quer ser invisível. Seu cérebro parece estar programado para funcionar de maneira diferente das outras pessoas e ela gosta de rotina e estabilidade. A única mudança que ela quer em sua vida é no status de sua amizade com Jamie, o que ela sabe que nunca acontecerá. Mas, ao ouvir sobre um concurso de cosplay de seu fandom favorito, Taylor começa a repensar até onde vai seu medo de se destacar.

RESENHA EM VÍDEO


 

RESENHA ESCRITA

Rainhas Geek é lançamento de Jen Wilde pelo selo Minotauro da editora Planeta. Em meio a um cenário completamente atual, a história se desenvolve durante um final de semana de uma convenção de cultura pop e consegue ir muito além de um enredo divertido.

Charlie, Taylor e Jamie são melhores amigos e estão realizando o sonho de participarem da SupaCon. Charlie é atriz, youtuber e uma das principais atrações da convenção, na qual ela pretende mostrar a seus fãs como superou o término com seu ex-namorado e parceiro no filme em que atuou. Quando Reese chega inesperadamente para  a convenção, Charlie percebe que sua tarefa vai ser mais complicada do que imaginava. Contudo, para sua sorte, a youtuber Alyssa — de quem Charlie é fã — é outra atração do evento e começa a se aproximar dela. É quando Charlie começa a desconfiar que seu crush por Alyssa pode estar sendo correspondido. Paralelamente, Taylor está empolgada com o evento, mas lidando com as dificuldades que sempre a acompanham — como seu desejo de ser invisível e sua resistência às mudanças. Extremamente fã de uma famosa série de livros, ela encontra a possibilidade de conhecer sua maior ídola — a autora da série — em meio a um concurso de cosplay, do qual ela só conseguirá participar se deixar de lado os medos que costumam tomar conta dela.

Em primeira pessoa, a narrativa de Rainhas Geek se intercala de acordo com as perspectivas de Charlie e Taylor, garantindo o protagonismo feminino na obra. As garotas, embora bastante diferentes, estão enfrentando cada qual seus próprios conflitos, apresentados ao leitor de maneira muito próxima. Assim, somos tanto capazes de sentir empatia por elas quanto também é possível que nos reconheçamos em muito do que elas sentem, vivem e passam.

O trunfo de Rainhas Geek está em abranger questões típicas do final da adolescência — como a formação da própria identidade, o medo pelas incertezas do futuro e pela iminência das mudanças na vida, a sexualidade e as primeiras relações amorosas — sem deixar de lado temas gerais e completamente essenciais. A SuperCon nada mais é do que uma amostra da sociedade como um todo e nesse agrupamento de pessoas, encontramos o enfrentamento do machismo, da gordofobia e da homofobia, além de situações que envolvem também os problemas relacionados à saúde mental. Assim, o livro é tanto formativo para o público ao qual se destina — e que está em processo de formação — como também auxilia no debate de questões que ainda precisam ser esclarecidas.

Fiquei extremamente emocionada pela maneira de como Jen Wilde trabalhou cada um dos temas. A autora nos coloca na pele das personagens e mostra com precisão as problemáticas enfrentadas. Senti com Charlie e Taylor os momentos em que foram oprimidas. Senti com elas seus medos e suas dificuldades. Mas, acima de tudo, senti nelas a força que as motiva e a força que existe entre elas. Ouvi as vozes de cada uma e fui presenteada com o empoderamento e a inspiração que elas proporcionam. Rainhas Geek é, acima de tudo, uma história de autoaceitação e de sororidade, e foi impossível não me sentir tocada pela mensagem que o livro transmite. Taylor, em especial, me conquistou por sua personalidade, por sua bondade inata e por sua força sem tamanho. De qualquer maneira, é incrível acompanhar as garotas encontrando seu lugar no mundo e se aceitando exatamente como são.

Não esperava amar Rainhas Geek como amei. Fiz a leitura em pouquíssimas horas e, durante esse meio tempo, ri, chorei, me diverti e me encantei. A história é gostosa de se acompanhar e traz tantos discursos incríveis que sentia, a todo momento, vontade de compartilhar essas passagens com outras pessoas, tamanha a força e a relevância que compreendem. Isso sem falar no romance, que conquista e faz da leitura ainda mais encantadora. Assim, o livro foi direto pra minha lista de queridinhos e se transformou em mais um que constantemente estará entre minhas recomendações.





Deixe o seu comentário

8 Respostas para "[Vídeo Resenha] Rainhas Geek — Jen Wilde"

Daiane Araújo - 15, junho 2018 às (18:56)

Oi, Aione.

Nunca li nenhum dessa temática, com o romance voltado entre duas mulheres, mas acredito que seria uma leitura bastante válida e única, por debater e ser voltada para temas alvos de preconceito.

Já o conhecia, e fiquei feliz quando vi que ele ia ser publicado aqui.

Responder

RUDYNALVA CORREIA SOARES - 15, junho 2018 às (22:09)

Oi Aione!
Nunca tinha ouvido falar do livro.
O layout realmente é diferente.
Bom ver que a narrativa é envolvente e com cenário atual.
Personagens cativantes é um bom motivo para leitura.
Bacana ver a diversidade apresentada no livro.
Bom ver que assuntos importantes são abordados e discutidos no decorrer da história.
Muito bom quando um livro nos empolga e dá vontade de espalahar. Valeu!
Tá muito frio por aí? Amei sua blusa!
cheirinhos
Rudy

Responder

Anna Mendes - 16, junho 2018 às (16:42)

Oi Aione!
Adorei o vídeo! <3
Que linda a capa deste livro! E que premissa diferente!
Parece ser uma leitura muito envolvente! Adoro encontrar representatividade nas histórias que leio. Parece ser um livro muito marcante e que deixa muitas reflexões para o leitor.
Fiquei muito curiosa para fazer a leitura!! 😀
Bjos!

Responder

Micheli Pegoraro - 18, junho 2018 às (17:31)

Oi Aione,
Que grata surpresa esse livro, nem conhecia mas já desejo ler.
Os motivos que você citou me deixaram empolgada para conhecer essas protagonistas cativantes e reais; são duas garotas que vivenciam muitas situações em que a gente se reconhece, com seus conflitos e inseguranças, e ao acompanhamos seus amadurecimentos e autoaceitação aprendemos valiosas lições.
Uma narrativa fluida e gostosa de ler, com personagens que fogem dos padrões. Acho que o ponto alto do livro é exatamente isso, personagens que fogem dos estereótipos, e além disso, a autora aborda temas que necessitam constantemente de discussão e informação. Uma história muito bem elaborada.
Amei a proposta do livro, quero muito ler.
Beijos

Responder

Lily Viana - 19, junho 2018 às (22:41)

Olá!
Não tinha conhecimento desse livro, mas vejo que há uma premissa muito boa, a trama me deixou bastante curiosa e tem uma historia bem diferente. Com certeza seria uma ótima leitura para um dia de tarde!

Meu blog:
Tempos Literários

Responder

suzana cariri - 27, junho 2018 às (14:13)

Oi!
Só com esse começo da resenha o livro já me conquistou, você contando essas historia de cada uma das personagens, me senti mesmo indo a SupaCon e as próprias personagens conversando o que queriam fazer quem queriam ver, senti muito esse clima de quando nos mesmo vamos a algum evento literário, gostei muito dessa representatividade que o livro trás, principalmente por não temos essa rivalidade mas sim um sentimento de união, gostei muito dessa mensagem que o livro passa e com certeza parece ser um livro que nos surpreende muito, pois também não esperava essa leitura tão profunda e que realmente discute assuntos bem relevantes, importante e principalmente por se impor, ainda não li esse livro, mas já coloquei na minha lista de leitura !!

Responder

Patrini Viero - 28, junho 2018 às (14:02)

Eu não conhecia e ainda não tinha ouvido falar do livro resenhado, mas já me identifiquei logo de cara por trazer como cenário esse universo geek que eu tanto amo. Além disso, eu adoro livros com personagens femininas fortes, que quebram barreiras e derrubam os padrões que a gente costuma encontrar dentro da literatura em geral. Acho os temas tratados ao longo da história bastante importantes, principalmente no momento atual que vivemos, onde o respeito às diferenças vem sendo tão questionado e exigido. Deu pra ver a tua empolgação com o livro, e eu acredito que eu ficaria igualzinha, marcando todas as passagens e colando nos postes de rua e murais por aí. A mensagem final do livro, que tu resumiu muito bem, é uma das coisas mais lindas que existe nele, e mais importantes também. Acho que a grandeza da trama vem exatamente dela, da validade e da relevância que essa moral tem nos tempos atuais e sempre.

Responder

Ana Carolina Venceslau Dos Santos - 29, junho 2018 às (19:50)

Pelo pelo jeito o livro aborda a questão da temática LGBT certo adoro livros dessa área então fiquei bem entusiasmado quando ouviu falar no lançamento de li a sinopse é bem interessante e eu me lembrei de uma amiga minha que teve uma história um pouquinho semelhante então com certeza vou recomendar ela esse livro e com certeza também eu irei ler-lo

Responder

Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2018 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por