agosto 26, 2012 | Minha Vida Literária
26

ago
2012

Coluna da Duhau #33 – Figuras de Sintaxe Parte 2


Oi, pessoas! Vamos pra mais um domingo de postagem dessa coluna que eu tanto amo fazer? Bom, pra quem não se lembra do post passado, porque já faz um tempinho, aqui está ele. E como eu disse ao final dele, deixei algumas Figuras de Sintaxe de fora, por isso agora a gente volta com a parte II, né?

Então sem mais delongas, vamos às Figuras de Sintaxe que estão faltando:



– Sínquise –

Regra: Sínquise é a inversão de tal modo violenta das palavras de uma frase, que torna difícil sua interpretação.

Exemplo: “Lícias, pastor – enquanto o sol recebe, mugindo, o manso armento e ao largo espraia. Em sede abrasa, qual de amor por Febe – Sede também, sede maior, desmaia.”

Entenda-se:

“Lícias, pastor, enquanto o manso armento recebe o sol e, mugindo, espraia ao largo -, abrasa em sede, qual desmaia de amor por Febe, sede também, sede maior.”




– Assíndeto –

Regra: Há assíndeto quando as orações de um período ou as palavras de uma oração se sucedem sem conjunção coordenativa que poderia enlaçá-las. É um vigoroso processo de encadeamento do enunciado, que reclama do leitor ou do ouvinte uma atenção maior no exame de cada fato.

Exemplo: “A barca vinha perto, chegou, atracou, entramos.” – Machado de Assis

“Lavava roupas da Baixa, vestia, usava, lavava outra vez, levava.” – Luandino Vieira





– Polissíndeto –

Regra: O polissíndeto é o contrário do assíndeto, ou seja, é o emprego reiterado de conjunções coordenativas, especialmente das aditivas.

Exemplo: “Como uma horda de seres vivos, cobríamos gradualmente a terra. Ocupados como quem lavra a existência, e planta, e colhe, e mata, e vive, e morre, e come.” – Clarice Lispector




– Anacoluto –

Regra: Consiste numa irregularidade gramatical na estrutura de uma frase, como se começássemos uma frase e houvesse uma mudança de rumo no pensamento. Por exemplo, através do desrespeito das regras de concordância verbal ou da sintaxe. É utilizado para dar a sensação de espontaneidade. 

Exemplo:Umas carabinas que guardava atrás do guarda-roupa, a gente brincava com elas, de tão imprestáveis.” – C. de Abreu





– Silepse –

Regra: Silepse é a concordância que se faz não com a forma gramatical das palavras, mas com o seu sentido, com a ideia que elas expressam. Existem, então, silepse de número, gênero

Exemplos:

Silepse de número – “Deu-me notícias da gente Aguiar; estão bons.” – Machado de Assis

Silepse de gênero – “Imediatamente, pode Vossa Excelência ficar descansado!” – B. Santareno

Silepse de pessoa – “Todos entramos imediatamente.”





Espero que tenham gostado. Com esse post fechamos o tema Figuras de Sintaxe e espero que  eles tenham contribuído de alguma forma para o engrandecimento do conhecimento de vocês. ^^



Beijão e uma ótima semana a todos! o/






Últimas Resenhas

Minha Vida Literária • todos os direitos reservados © 2019 • powered by WordPress • Desenvolvido por Responsivo por